sexta-feira, 7 de agosto de 2015

A Trilha da Serpente

 Estas fotos são do começo de julho. Leonardo deu uma boa limpada numa parte do pátio e acabou abrindo uma trilha que une a parte de baixo do terreno com a parte alta. Durante a limpeza e poda das pequenas árvores de vassouras que tomavam conta da área, Leonardo encontrou uma pequena cobra. Pequena, mas perigosa, pois era uma pequena jararaca, que foi convidada a se mudar. Leonardo não esperou ela responder se aceitava, ou não o convite, e a levou para uma mata nem tão perto, nem tão longe daqui.
Em homenagem a jararaquinha, passamos a chamar o novo caminho do Recanto por "Trilha da Serpente". Eu e a cachorrada adoramos a nova trilha!
Dias desses, estava eu subindo por ela quando me deparei com uma cobra enorme atravessando a "rua". Milagrosamente, eu estava sozinha, sem nenhum cachorro junto. Leonardo estava limpando uma área no alto do terreno e ao lado da trilha. Provavelmente, ele estava chegando perto de onde estava esta cobra, que fugiu para o lado da trilha e acabou se encontrando comigo. Não sei quem ficou mais assustada, se eu, ou ela, que serpenteou rapidamente mato a dentro, fugindo da presença deste humano predador.
Não sou entendida em serpentes, mas como já apareceram algumas por aqui, e postamos elas no Face para que os amigos entendidos identificassem do que se tratavam, desconfio que se tratava de uma Cobra d'àgua, pois era muito parecida com uma que apareceu na porta da cozinha, logo que nos mudamos, e foi identificada como tal. Ela é muito comprida e a coloração parecida, e não são venenosas. 

 A subida é deixar o vivente com a língua de fora!
Passado o susto, concluímos que escolhemos bem o nome da trilha e ontem, Leonardo encontrou outra cobrinha enquanto cortava a grama. Esta sim, uma Cruzeira bem venenosa! Leonardo a levou para a mesma mata onde deixou a jararaquinha e eu fui junto, me pelando de medo, mas fui e filmei a soltura da coitada. Sim, coitadas porque, por incrível que pareça, tenho visto que as cobras, ou melhor, as serpentes, não são agressivas, elas evitam ao máximo o contato com os humanos, inclusive as venenosas. Quando Leonardo abriu o pote onde ela estava, ela tratou de adentrar na mata, mais preocupada em fugir da gente do que qualquer outra coisa. 
Continuo com muito medo delas, mas estou aprendendo a admirar e respeitar mais ainda estes seres da natureza, que só querem viver em paz no ambiente deles, cada vez mais invadido e destruído por nós, os seres humanos e racionais.
Boa sorte, cobrinha! Mas fica aí no teu cantinho, que eu fico no meu, tá?!

4 comentários:

  1. Tiane,muito já andei no mato e, realmente, elas fazem de tudo para fugir da gente. Eu paro e espero elas seguirem o caminho delas. Na mata eu tenho medo, mas medo mesmo é de encontrar GENTE!

    ResponderExcluir
  2. Jesus, eu teria morrido só de ver a cobra rsrsrsrs
    Que graça os cachorrinhos mo novo caminho ♥
    Beijos e um ótimo final de semana
    http://mhilkadiniz.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Oi Tiane! Que saudade que estava de visitar o bloguito! Menina meu pc foi pro pau, fueeeein... Meu marido tentou arrumar e apagou de vez TODOS os meus arquivos, minhas fotos... fiquei tão triste... Mas pelo menos o pc foi consertado e pude voltar a vida bloguistica! Bah, o Leonardo fez uma bela limpeza hein, ficou ótima a trilha... queria que meu marido se empolgasse assim rsrsrs beijocas

    ResponderExcluir
  4. Aqui em Portugal as cobras não são venenosas, ou melhor, não venenosas ao ponto de serem letais, mas a "ordem" por cá é matá-las! Quase toda a gente as detesta e investe contra quando as encontra. Eu não, gosto até de admirá-las, a uma distância respeitável, claro, eheh. Mas essa aí, Jesus! Enorme! E vocês como conseguem apanhá-las e soltá-las depois?! Admirável gesto e coragem!

    ResponderExcluir

Responderei aos comentários aqui mesmo ou se preferir, deixe seu e-mail para que eu possa entrar em contato. Obrigada pela visita e pelo comentário!