terça-feira, 28 de fevereiro de 2012

Nanquim e Naomi no novo lar doce lar!

O meu domingo de carnaval realmente teve um motivo para sair pulando e fazendo festa. Depois de mais de ano esperando, finalmente, o Nanquim e a Naomi foram para seu novo lar.
Este é o Nanquim. Ele estava comigo desde 2007, quando chegou ainda filhote aqui em casa. No meu outro blog, o www.adoteumfocinho-tiane.blogspot.com , tem uma foto dele filhotão, logo que chegou. Veja aqui. A mãe dele foi recolhida por uma conhecida minha que levou a cadela grávida para uma clínica onde ela ganhou seus filhotes. Quando eles tinham uns 3 meses, a clínica pediu que tirassem eles de lá e para ajudar, me disponibilizei para ficar com 3 filhotes por um período. Um filhote morreu, a outra foi adotada por essa conhecida, e o Nanquim foi ficando, ficando...
E esta é a Naomi, que estava comigo há 9 anos. Eu e a Mara, uma grande amiga minha, a tiramos da rua também grávida. Era uma cadela arisca, a Mara dava comida para ela, todos os dias na rua, mas a danada não deixava que chegassem perto, esperava que se afastassem do prato com comida para então comer. Só que os dias iam passando e o barrigão crescendo. Fui tentar ajudar a Mara a resgatá-la, andamos atrás dela de um lado para outro, tentando atraí-la com comida. Finalmente, a Naomi bobeou e me "joguei" em cima dela contra um muro. A levamos para a casa da minha irmã, que ainda não tinha cães, e dois dias depois ela deu à luz 12 filhotes, que começaram a morrer em carreirinha, um mês depois, de parvovirose. Foram-se os filhotes e ficou a Naomi. Ao contrário da minha outra "conhecida", a Mara sempre ajudou com a ração, despesas veterinárias da Naomi e de muitos outros animais que passaram por mim.
A Naomi tem um temperamento muito difícil, sempre foi muito arisca, o que diminuía as chances de adoção.
A Mara sempre disse que um dia levaria a Naomi e então, esse dia chegou!
A Mara e seu marido, o Martim, compraram um terreno em São Francisco de Paula, na serra gaúcha e pretendiam construir um dia. Quando a casa ficasse pronta, a Naomi iria para lá. Passaram-se anos até que a casa estivesse pronta. Neste meio tempo, enquanto estavam em obras por lá, Mara e Martim adotaram um cão, o Chico Pancada. O nome do cachorro era Chico, eu que apelidei de "pancada" porque ele fazia jus ao apelido. A ideia deles era levar a Naomi para fazer companhia ao Chico. Só que, depois de um tempo, descobrimos que o apelido não era à toa, o Chico devia ter algum probleminha neurológico e começou a ter convulsões que ficaram muito frequentes e acabou morrendo. Ele recebeu todo o atendimento necessário, mas não tinha como salvá-lo. Antes do Chico morrer, Mara e Martim adotaram mais dois cães em São Chico (como chamamos a cidade de São Francisco de Paula por aqui), a Negrrrrrinha e o Pixú. Eu sempre menciono a Negrrrrinha como se a tecla do "r" trancasse, é uma brincadeira minha e da Mara. Como a Naomi tem um temperamento difícil e anti-social com outros cães e ela ficou viúva antes de conhecer o noivo, o Chico Pancada, a Mara resolveu adotar o companheiro dela aqui em casa, que era o Nanquim.
Bom, chega de blá, blá,blá. Me empolgo escrevendo e se soubesse, contaria toda a árvore genealógica da bicharada. Para conhecer a Negrrrrinha e o Chico Pancada é só clicar no link abaixo
Voltando ao domingo de carnaval, Leonardo, eu, Nanquim e Naomi saímos de Porto Alegre pelas 10h com um calor já insuportável. O consolo é que iríamos subir a serra e pegar ares mais frescos.
A faceirice deles saindo de casa e entrando no carro era algo! Depois de algumas idas ao veterinário eles já se acostumaram a andar de carro, e pareciam gostar. Mas eu estava preocupada com um passeio mais longo, quase duas horas e com um calorão daqueles!
Nanquim não via a hora de partir.
Este é o canil onde Nanquim e Naomi ficavam aqui em casa. Um quadrado de pouco mais de 2,00m X 2,00m. Assim são todos os canis, mas a bicharada fica solta o dia todo, sendo presos em seus respectivos canis apenas na hora da comida, quando prendo todos para soltar Nanquim e Naomi, que brigam com todos, por isso ficavam "de castigo".
Eu colocava guarda-sol para protegê-los, mas desde dezembro que ficamos sem, pois uma ventania estragou com o último. Tive que usar um lençol até que a minha prima Marília encontrou um, perdido na garagem da casa dela. Obrigada Marília! Ajudou bastante!
Mas nem com todos esses cuidados, a vida de Nanquim e Naomi era perfeita. Não é nada agradável ficar preso num canil com o calor que anda fazendo por aqui, eles chegavam a vomitar de tanto calor. Nos dias muito quentes eu ainda soltava eles mais uma vez que o normal, mas ainda era pouco.
A viagem foi super tranquila, eles se comportaram muito bem. Lá pelas tantas, comentei com o Leonardo que eles deviam estar comentando entre eles: "mas tá demorando pra chegar essa clínica, heim?!". Mal sabiam eles a vida nova que os aguardava. Imaginem sair de um canil 2 X2 para morar aqui:
Sim, todo essa área é só pra eles!
Nanquim não sabia o que fazer, para qual lado correr...
Dentro desta casinha de alvenaria está a casinha deles.


Nanquim inspecionando sua nova moradia enquanto Naomi, a desconfiada, ficou só espiando lá de fora.
Cães instalados em sua nova morada, ficamos um tempinho com eles para fazer a adaptação e fomos até a cidade para almoçar.
Almoçamos na belíssima Livraria Miragem, uma verdadeira miragem na pacata cidade de São Francisco de Paula. Tudo o que eu queria, era uma livraria dessas aqui em Porto Alegre. Um ambiente espaçoso, simpático e muito agradável. Tem uma Casa de Chá que serve lanches e almoço e tudo vegetariano! Além do cardápio vegetariano, a preocupação da proprietária com os animais, está impressa nas janelas da livraria, com banners com frases de respeito aos animais.
Escolhemos um lanche para o almoço, não lembro o nome, algo tipo "veggie burguer", Era um sanduíche de pão árabe com um delicioso bife de soja e salada. O pão crocante, uma delícia!!!
Depois deste almoço ma-ra-vi-lho-so, nos despedimos de Mara e Martim, que voltaram para a casa onde estavam Nanquim e Naomi e Leonardo e eu ficamos mais um pouco na livraria. Na saída, Leonardo sugeriu um picolé, que aceitei prontamente. Leonardo e eu parecemos crianças, pois tomamos picolé na expectativa de achar um palitinho premiado. Perguntei se o dele estava premiado, ele disse que não e ele perguntou pelo meu, também respondi que não. Tinha visto umas letrinhas no palitinho e achei que era propaganda normal, até que vimos na mesma hora que o meu palitinho estava premiado. As letrinhas que eu tinha visto não eram uma simples propaganda. Oba! Pegamos outro picolé na hora!

Como Mara e Martim não haviam telefonado, era sinal de que estava tudo bem com a duplinha canina e depois dos picolés, seguimos viagem de volta para o Forno Alegre. Aquele domingo tava quente demais!
Fizemos uma breve paradinha para fotografar a paisagem e foi isso!
Feliz vida nova Naquim e Naomi!
Obrigada Mara e Martim!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Responderei aos comentários aqui mesmo ou se preferir, deixe seu e-mail para que eu possa entrar em contato. Obrigada pela visita e pelo comentário!