quarta-feira, 26 de abril de 2017

Picada poderosa

 Ontem de manhã, recolhi umas roupas do varal e fui desvirar uma camiseta do Leonardo, quando levei uma picada de um marimbondo, que estava do lado de dentro da camiseta. Quando, que eu ia imaginar que o bichinho estava lá dentro????
A picada parece uma agulhada quente, é bem ardida, mas, nada insuportável demais. 
Passei a pomadinha das picadas em seguida, mas, não demorou para começar a inchar no local. 
 Eu sabia que ia inchar um pouco, mas a mão não parou de inflar.
 Minhas veias e rugas da mão foram sumindo. Efeito botox!
 Aqui, já estava com dificuldades para fechar a mão e dobrar os dedos.
No final da manhã, a mão parecia um pão recém saído do forno, bem crescido e quente. :) E o efeito  inchaço continuou subindo para o braço.
No final da tarde, o inchaço chegou na metade do ante-braço. Fiquei impressionada!
A outra picada que eu lembro que levei, foi no cotovelo. Lembro que o cotovelo ficou bem inchado e quente, mas, no outro dia, quase não dava para lembrar da picada.
Mais de 24 horas após a picada, minha mão permanecia inchada e dolorida. Ainda bem, que o Leonardo chegou do plantão e viu o inchaço a tempo, para eu não passar por mentirosa. rererere

domingo, 23 de abril de 2017

Bom domingo!

 O que é isso, saindo de dentro da caixa???
 Agora tá saindo mais uma coisa do outro lado...
"oooi!" 
Um domingo divertido a todos, como as brincadeiras da minha gatinha Silene Seagal!

quarta-feira, 19 de abril de 2017

Por onde voas passarinho? Diário de bordo do Verdinho - Parte 1

Era uma vez um passarinho verde e muito curioso, que resolveu ampliar seus horizontes e partiu, de mala e cuia, para conhecer novos lugares e fazer novas amizades.
Um belo dia, ele pousou na varanda do apartamento da Calu, no Rio de Janeiro (1). Conversa vai, conversa vem, Calu comentou com o pequeno passarinho, que ia encontrar uma amiga do sul, e curioso como ele só, também quis conhecer a Chica. Encontraram-se os três, no aeroporto e o pequeno passarinho verde gostou tanto da Chica, que resolveu ficar uns dias com ela, em Porto Alegre (2). Na capital dos gaúchos, ele viveu muitas aventuras, fez vários amigos e ganhou um nome: Verdinho. Apesar de estar adorando tanta novidade, o Verdinho decidiu que era hora de partir, e aceitando a sugestão da Chica, fez um pequeno vôo até Canoas (3), na região metropolitana de Porto Alegre, para conhecer a Lena e o seu lindo mato! Na casa do mato da Lena, ele se refrescou do calor na piscina dos humanos e na piscina dos passarinhos. Ah, os passarinhos... encontrou vários! Depois de se deliciar com as pizzas feitas pela Lena, o Verdinho voltou para Porto Alegre (4), para provar o famoso bolo da Lu ... nham! nham! Que delícia! Mas não foi só de bolo que o Verdinho se alimentou durante a estada na casa da Lú. Ele se alimentou de muita cultura também, pois leu alguns livros, dos muitos que a Lu tem na sua estante. A Lú ama ler e falou para o Verdinho, que ler é alimentar a alma e viajar no mundo da imaginação. "Viajar! Preciso viajar", lembrou o Verdinho, e perguntou para a Lú, como fazia para conhecer aquele lugar cheio de verde e de cães, que ela havia comentado com ele. "O Recanto?", perguntou a Lú.  "A Tiane e o Leonardo ficaram de passar aqui e podem te dar uma carona".
E assim, apesar da visitinha de médico, eu desvirtualizei mais uma amizade bloguística (existe esta palavra??), e trouxe o Verdinho para conhecer o Recanto, em Maquiné (5). 
Na chegada, fui mostrando um pouco do Recanto para o Verdinho. 
Esta é a casinha velha do Recanto, onde moramos eu, Leonardo, os cães, alguns gatos e outros bichinhos da natureza.
E esta é a varanda da futura casa, que está em construção. Olha a casinha velha lá embaixo, Verdinho!
 Verdinho, eu sei que gostaste da vista da varanda, mas hoje é Sexta-feira Santa e precisamos preparar alguns quitutes para o sábado e domingo. Tu me ajudas?  Vamos começar pelo pão de mel?
 Verdinho me ajudou a embrulhar as bolachinhas de mel, também, e já se aquerenciou na cestinha, com as fitas e embalagens.
 Bolachinhas prontas e embaladas. Agora, vamos preparar uma sobremesa para o meu pai?
 E o Verdinho ajudou no preparo destes, que eram para ser quindins para diabéticos, mas ficaram mais parecidos com queijadinhas. O importante, Verdinho, é que o pai adorou, né?!
E por fim, Verdinho, vamos fazer um rocambole de doce-de-leite para levar para a sogra?
E chegou o Sábado de Aleluia e eu, Leonardo,Tombinho e Verdinho pegamos a estrada rumo a praia de Torres, onde teria o almoço com meus pais e a família da minha irmã.
São menos de 100 km entre Maquiné e Torres, mas Tombinho e Verdinho estavam cansados e dormiram, um pouco, na viagem.
Levamos o Verdinho até o Morro do Farol, que tem uma bela e ampla vista da cidade de Torres. Depois, almoçamos e passamos o restinho do dia em família, voltando para Maquiné no final da tarde. 
No domingo de Páscoa pegamos a estrada de novo, para almoçar com a mãe e irmã do Leonardo, em Nova Petrópolis. No caminho, antes de chegar na BR 101, mostramos a Lagoa dos Quadros na estradinha de acesso ao Recanto. 
Muita chuva em São Francisco de Paula

Esta viagem é mais demorada, dá mais de duas horas de estrada, entre Nova Petrópolis e Maquiné, e pegamos muita chuva no caminho. 
Passando por Gramado

Para chegar a Nova Petrópolis, precisamos passar por belas paisagens das cidades serranas de São Francisco de Paula, Canela e Gramado. Infelizmente, por estar chovendo e estarmos atrasados para o almoço, não conseguimos fazer fotos.
Mas o Verdinho não se importou de não poder fotografar, pois estava com muita fome e se atracou nos bolos que a sogra preparou para os filhos Betina e Leonardo, as eternas crianças dela.
E vejam só, rolou até um namorinho com uma passarinha que mora na casa da irmã do Leonardo! Foi difícil convencer o Verdinho a pegar a estrada de volta para o Recanto. Ele queria ficar por lá, conhecer a cidade na companhia da bela passarinha mas, se convenceu que voar sozinho, com chuva, seria complicado e voltou com a gente para Maquiné.
Chegou cansado e foi dormir em seguida. Escolheu este ninho para ser seu, na sua estada por aqui. Disse ser aconchegante e doce o suficiente. 
Então, tá! Bom descanso, Verdinho! Dorme bem e descansa bastante, pois ainda teremos muita coisa para ver e fazer aqui no Recanto, antes da tua próxima viagem, que será em breve, apesar de ainda não saber ao certo, qual será o próximo destino.
Quem sabe, nesta tua última semana por aqui, não recebes um convite para alçar vôos mais altos, quem sabe, para outros estados? Quem sabe?

"Por onde voas passarinho?" é uma brincadeira criada pela Calu, do blog Fractais da Calu, cuja proposta é que o Verdinho viaje por muitos lugares fazendo uma interação entre blogs e criando novas amizades, novas histórias e aventuras.
Para conferir as aventuras anteriores deste passarinho, é só voar até os links abaixo:
- Calu
Chica
- Lena
-

quinta-feira, 13 de abril de 2017

70 anos do tio Serginho

Hoje, 13 de abril é aniversário de uma pessoa muito especial! E este ano, ele está completando 70 aninhos!!!
Ele é o irmão mais novo do meu pai, o risonho do canto esquerdo, e filho desta senhora risonha, que partiu e deixou muitas saudades! O risonho, sentadinho ao lado da vó Yole é o meu tio Serginho. Esta foto é de 1980 alguma coisa ... :) 89, talvez...
Esta foto é de novembro passado, eu e minha irmã e o tio Serginho.
Chamamos ele de tio Serginho, desde que nasceu a minha sobrinha, e assim ficou, o tio Serginho, que tanto segurou o Marco e Marina no colo, e agora segura o meu risonho favorito, o Arthur. 
Esta foto foi tirada na última terça, quando fomos a Porto Alegre comemorar os setenta anos desta pessoa da paz. Nem dá pra dizer que ele já tem setenta! 
Parabéns tio Serginho!!!!! 

segunda-feira, 10 de abril de 2017

Segunda Páscoa Linda - Artes da Sogra e bolachinhas

 
Na última edição da Segunda Páscoa Linda do ano, além das bolachinhas que eu fiz, vou apresentar uma arte feita pela minha sogra, dona Sonja, que está pintando os recortes em MDF com motivos de Páscoa.
Ela descobriu estes recortes no Natal passado, na feira de rua de Natal de Nova Petrópolis, cidade onde ela mora, fez amizade com a dona Elaine, a senhora que faz estes recortes, e comprou mais alguns agora, com motivos de Páscoa. Os modelos acima foram feitos a partir de uns que a dona Sonja tinha há anos, e emprestou para a dona Elaine usar como molde. 
Eu até comentei, numa Segunda Natalina do ano passado, que não sabia se pintaria os que eu havia ganhado, pois eles já são bonitos assim, na cor natural. 
Leonardo voltou do último plantão, com vários recortes que a sogra comprou para mim, criei coragem e pintei um deles, que usei na guirlanda que apresentei na semana passada.
E a sogra resolveu pintar os dela, com lápis de cor!!! 
Quando ela contou para o Leonardo, que estava fazendo isso, fizemos caras de desconfiados, pois achávamos que iam ficar feios. Quando a Betina, irmã do Leonardo, mandou as fotos dos recortes pintados, ficamos boquiabertos!
Olhem só, que coisa mais linda que ficaram! Dá pra dizer que foi pintado com lápis de cor? Não, né?!
Fiquei apaixonada pela arte da sogra! As fotos foram tiradas e enviadas pela irmã do Leonardo. Dona Sonja diz, que o celular deixa a pintura mais bonita do que está ao vivo. Só poderei ver e conferir ao vivo na Páscoa mas, duvido que  o encanto seja quebrado. Estão lindos demais!  Já tinha visto outras artes da sogra, que deixou de fazer muita coisa nos últimos tempos. Já sabia do seu talento mas, ela conseguiu me impressionar mais! Amei!
Eu tinha planejado publicar umas gulodices de Páscoa feitas por mim, mas, uma dela não deu certo. Era um pão em formato de pombos. 
Fiz no sábado, a massa ficou muito mole e não consegui moldar os pães. Como estava ficando tarde, desisti de tentar acertar o ponto, dividi a massa, coloquei em duas formas e levei para o forno. 
Geeeente... foi um dos pães mais gostosos que já fiz e comi! Muito bom, modéstia a parte! riririri
Outra hora tentarei fazer os pombos. Quem sabe, não consigo postá-los na Segunda Páscoa Linda do ano que vem, né?! Numa outra postagem eu passo a receita do pão, que está em inglês.
 Errei o pão mas acertei nas bolachinhas amanteigadas!
Sempre fiz esta receita para o Natal. Dias desses, deu vontade e fiz fora de época. Leonardo, que já havia provado mas não lembrava, se apaixonou pelas bolachinhas e tenho feito seguido. As últimas foram com as forminhas em formato de coelho, que ganhei dele e da sogra. Foi muito engraçado, porque, de repente, ele comprou várias forminhas para mim. Por que será???  E na mesma época, a sogra também comprou uns coelhinhos diferentes e me presenteou. Fiz uma receita com elas, mas não ficaram muito boas para este tipo de bolachinha, quebraram demais. Tentarei com outra receita.
Estes coelhinhos já foram, quase todos dizimados, sem dó, nem piedade! Restam uns três ou quatro no vidro. 
A receita é muito simples: meio tablete de manteiga, 1 ovo,  3 xícaras de farinha de trigo, 2 xícaras de açúcar e uma colherinha de chá de fermento em pó. Mistura tudo, amassa com o rolo, corta com os cortadores, coloca para assar no forno e depois coloca na boca!!! Nham! Nham! Esta é a melhor parte!
E é assim, com água na boca que encerro a minha participação na Segunda Páscoa Linda do ano, a brincadeira pra lá de gostosa que a Michelle, do blog Decoração e Invenção, inventou para nos divertir. 
Obrigada Michelle, pela oportunidade! Gosto demais, destas blogagens!
Quero aproveitar e me desculpar por não ter colocado em dia, ainda, as visitas da edição da semana passada. A correria está grande por aqui, até ando vendo o coelho branco da Alice, correndo pelo Recanto, e reclamando "é tarde! é tarde! É tarde até que arde!" :)
Como gosto deste coelho!  
E já tá tarde mesmo! Preciso terminar esta postagem antes de virar abóbora!
Boa Páscoa a todos!

Bruxinha com Decoração de mesa

quinta-feira, 6 de abril de 2017

4, 3, 2, 1...


Quatro!
Três...
O Caniço não conta! :)
Largaram quatro cadelinhas aqui perto de casa, estavam na beira da estrada, num final de tarde. Não consegui olhar aquelas quatros figurinhas dentro de uma caixa de tênis, virar a costas e deixá-las lá. Era o que eu deveria fazer, pois já tenho muitos, que significam muitos gastos, muito trabalho, muitos passeios e viagens deixados de lado, mas não conseguiria dormir tranquila sabendo que elas ficariam lá, assustadas, com frio e fome, podendo ser atropeladas ou atacadas por uma cobra ou algum outro bicho. E então, me ferrei! De 17, pulamos para 21 elementos caninos no Recanto. Já doamos uma... 20!  Espero voltar para 17!