terça-feira, 19 de janeiro de 2016

Uma tarde de domingo

Conforme havia anunciado na sexta-feira, o final de semana foi tranquilo e bordei bastante no sábado de tarde, depois de almoçar com mamis e papis,
Já no domingo, o bordado não rendeu muito, culpa da cachorrada, que me distraiu, uns fazendo poses mais charmosas que os outros, e me forçando a fotografá-los.
É que sentei na rua para bordar, pois estava mais fresquinho e a cachorrada toda em volta, obviamente! Estava muito calor e, ou eles ficavam numa pose muito engraçada, ou cochilavam como se estivessem dormindo o mais pesado dos sonos.
Aqui estão o Dunga e a Olívia. Nada de mais no clique, apenas, o primeiro registro canino do dia.
A Paçoca dava umas cochiladas com a cabeça em pé e a orelha virada. 
O Dunga era o mais inquieto. Só depois de tirar esta foto, foi que percebi como ele está com o bigode branquinho.
A Olívia e seu espinho de ouriço no meio da boca. Tirei alguns mas ela não deixou que eu tirasse todos.
Meu border-lata Pinheirinho! meu velhinho querido!
E o bebê de mamãe!!! Trumbico-bico-bico!
Aí, já eram cinco da tarde e a Anaconda começou a dar uma rabadas, lembrando que eu não havia almoçado ainda. E cozinhei duas espigas de milho. Anaconda, para quem não sabe, é a minha lombriga de estimação.
Comer com platéia é fogo! Não ganharam milho, nem banho! 
A Kin é ceguinha e ficou deitada na porta, quase a tarde toda.
Cadê o milho que tava aqui???
A Tiane comeu!!!! Tudinho!
Agora, entreguei o bordado! Já dá pra ver o que é, né?!
Aí, a Olívia resolveu dar sol para as pulgas.
É o quadro do prazer!
De repente, o Costelinha e a Lépi resolveram virar de barriga para cima também, ficaram os três capotados, mas não deu tempo de registrar. A Lépi, a preta nesta foto com o Costelinha, desvirou rapidinho e começou de palhaçada com o Costelinha.
Depois da brincadeira, o Costelinha levantou, se espreguiçou e bocejou.
O Costelinha faz cada carinha boa para foto!
A tarde estava muito agradável! Estava fresquinho onde estávamos, e entre um ponto cruz e outro, brincava com a cachorrada ou, simplesmente ficava observando o jeitinho deles e fotografando. 
Volta e meia, um pássaro voava tirando a minha atenção do bordado, e numa dessas tiradas de atenção, flagrei um casal de canarinhos numa das casinhas penduradas no caramanchão. 
 Quando olhei, o pardinho estava dentro da casinha e o amarelinho, fora. Fiquei feliz pensando que mais um casal havia escolhido aquela casinha para colocar seus ovinhos. O pardinho saiu da casinha e falava com o amarelinho.
 Eles ficaram conversando na porta da casinha por um tempo. Depois, os dois voaram e não voltaram mais. Concluí, que eles estavam apenas olhando a casinha e que o pardinho era o marido, que olhou lá dentro e chamou a esposa amarelinha para ver a casa e ficou tentando convencê-la de que a casa era boa, era só dar uma limpadinha, tirar os galhos velhos, uns galhinhos novos aqui, outros ali, o ninho estaria novo em folha!  
Ou o pardinho era a fêmea, que olhou a casinha por dentro e ficou xingando o marido, dizendo que aquela casa estava suja, não era nova, já tinha sido usada, que ela queria uma casa nova, a vizinhança não era boa, ficava cuidando tudo o que eles fazem, não têm privacidade, blá, blá, blá, blá, blá...
Resumindo, não escolheram aquela casinha. Foram olhar outra na relação do "nossa casa, nosso ninho!"
E assim, se foi a minha tarde de domingo, bordando, fotografando e admirando a bicharada do Recanto. Tinha um capim me incomodando embaixo da cadeira e puxei. Aí, tinha mais um e muitos outros, e assim, deixei o bordado de lado e comecei a limpar a minha jardineira de pedras, que ainda está em construção. A Brisa está ali atrás da floreira, só cuidando eu trabalhar. E trabalhei nela até os mosquitos chegarem. 
Conforme comentado, bordei no findi e fiz outras coisas,  mas não cortei grama, nem dei banho na bicharada... 

2 comentários:

  1. Tiane, me diverti com esse post... hahahaaa
    Nossa casa nosso ninho é ótima Kkkkk
    Mas que amor esses bichinhos na sua volta... lindos de viver.
    Tenho, na casa dos meus pais em SC, um cachorro chamado "Jack" que é muito idêntico à Paçoca, porém já está velhinho, bem velhinho. Mas me fez viajar na saudade do "meu bicho preferido". :)
    Beijokas mil. Belo bordado.

    :*

    ResponderExcluir
  2. Foi uma bela tarde! Calma, sem pressões, com amigos caninos, com natureza, com linha e agulha, suspiro... :) E muitas risadas! Pelo menos eu aqui deste lado dei algumas ao ler os teus relatos, eheh.

    ResponderExcluir

Responderei aos comentários aqui mesmo ou se preferir, deixe seu e-mail para que eu possa entrar em contato. Obrigada pela visita e pelo comentário!