domingo, 21 de fevereiro de 2010

Pedalada até Belem Novo - 20 de fevereiro

No sábado, dia 20 de fevereiro, pedalei com João, Naza e Marga até Belém Novo. Combinamos de última hora, na sexta de tarde e às 9 horas de sábado cheguei de carro na casa de João e Naza com a minha nova bicicleta, a Laranjinha, no banco de trás da super máquina. Resolvi ir de carro porque, provavelmente voltaria tarde e não gosto de pedalar sozinha de noite e os demais participantes da pedalada moram longe da minha casa.

Saímos do centro de Porto Alegre, numa bela e quente manhã, seguindo pela ciclovia da avenida Beira Rio passando pelo museu Iberê Camargo e pela área do polêmico Estaleiro Só. Passamos pelo Barra Shopping e sua polêmica ciclovia. Nossa! Quanta polêmica!


Encontramos a Marga no bairro Tristeza. Seguimos pela Coronel Marcos até a praia de Ipanema onde a Naza teve a ideia e necessidade de se refrescar no chuveirinho do calçadão. A Marga resolveu fazer o mesmo e eu apenas tentei lavar as mãos, que ficaram engraxadas após uma teimosa tentativa de arrumar a corrente da bici.

A mais nova e empolgada ciclista do momento: a minha amiga, Marga!
Naza, no momento em que encontramos a Marga, já perguntando se estávamos chegando.João, sempre sorrindo !

O refresco da Naza.



O refresco da Marga.

Minha tentativa de limpar as mãos. Foto da Naza.

Seguimos a pedalada pela praia de Ipanema fazendo um pit-stop para abastecimento (bananas) antes de entrar na estrada da Ponta Grossa, estrada pela qual eu não fazia a menor intenção de passar novamente. Passei por ela em janeiro do ano passado e havia achado um tanto mal cheirosa e deserta, mas esta segunda passagem desfez um pouco a má impressão que eu tinha dela. O bairro Ponta Grossa tem como vizinhos os bairros Serraria, Belém Novo e Hípica. Fica bastante afastado do centro. É considerado zona rural de Porto Alegre sendo ocupado basicamente por sítios, sedes de clubes e associações. Por estar afastada da cidade e não ter muito movimento, largam muito lixo na beira da estrada da Ponta Grossa e da estradinha de chão que seguimos após, com muito verde e muito lixo também. É impressionante a quantidade de lixo que se encontra nas beiras de estradas. Pela quantidade, imagino que devem ser despejadas de caminhão e carroça e é claro, que as pessoas também jogam. Limpam seus pátios e sujam sua cidade, ou seja, escondem a sujeira embaixo do tapete.

O rio Guaíba

Naza com a língua de fora no final de mais uma lombinha.

Comedores de banana: pit stop para repor as energias.

Foto da Naza

A última paradinha antes de chegar em Belem Novo...
...sob a sombra de uma bela Paineira!

Chegada no centrinho de Belem Novo!

Chegando em Belém Novo encontramos o anfitrião Luis no supermercado do centro e, após recebermos as coordenadas seguimos de bici até a sede da ong "Guardiões do Lago Guaíba", enquanto o Luis e um amigo esperavam pela Elzira, que estava chegando de ônibus.

O local marcado para o pic-nic fica na beira do rio, conhecido como a "Volta do Veludo" ou praia do Veludo. É um belo lugar, com muitas árvores e pássaros, um lugar singelo, paisagem típica deste bairro de Porto Alegre, que foi um dos antigos locais de veraneio dos porto-alegrenses.

Fotografei um pica-pau branco apesar de não conseguir chegar muito perto. Eu me aproximava e ele voava para outro galho e acabou ficando muito pequeno e escondido, quase não aparecendo na foto, por isso não postei. Fica para uma próxima. Fiquei feliz, pois nunca tinha visto um pica-pau branco, aliás, nem sabia que existia essa espécie.


Como o dia estava bem abafado, João comprou umas cervejinhas que ajudei a tomar. Em seguida começamos a preparar o pic-nic vegano. Cada um havia levado alguma coisa. Eu levei batatinhas assadas, pêras, que viraram um purê, e bolo de chocolate. Apesar de não ter sido um pic-nic com toalhinha no chão (ganhamos até uma mesinha!), foi um típico pic-nic devido a presença das formigas que tomaram conta do chão mas sem atacar nosso lanche. Só pegaram alguns farelinhos que caíram, pois parecia que elas tinham algo mais importante para fazer, como uma mudança. Pelo que vimos, elas estavam mudando o formigueiro de local.
Após a comilança, o pessoal assistiu o documentário "The Cove". Eu não aguentei assistir, minha cabeça começava a doer e caí dormindo na rede.
Um pouco antes do final do documentário, resolvemos começar nossa "viagem" de volta. Havíamos combinado de voltar cedo e já eram quase cinco da tarde, bem mais tarde do que gostaríamos. Pelo menos, o sol estava mais fraco.
Achei que tirando uma sonequinha minha dor de cabeça iria embora, mas não foi. Comecei a pedalada de volta com a cabeça parecendo um porongo. Acho que a volta teve mais paradas do que a ida e fizemos um pit-stop para abastecimento um pouco mais demorado: açaí na lojinha do posto de gasolina em Ipanema...huuumm! Delícia!
Foi uma ótima pedalada e o que mais me deixou feliz foi a companhia da Naza, que cansa muito e aguentou firme a ida e a volta, e a da Marga, minha "dinda" querida, que começou a pedalar há pouquíssimo tempo e já se aventurou numa pedalada maiorzinha. O João é macaco velho -rsrsrs! Obrigada João, Naza e Marga! Adoro vocês!



Foto da Naza






Elzira e João começando a aprontar o pic-nic.

O pic-nic!


Pic-nic sem formiga não é pic-nic!


A bici da Marga tem mil e uma utilidades, apresentando: a bicicleta-varal!
Depois da comilança, uma sonequinha no chão. Foto da Naza.


O bom e velho Guaíba, cenário de pedaladas e caiacadas!

Mais uma parada...

João aprontando a máquina para a foto abaixo.
Eu, Marga, Naza e João. Foto do João
Foto da Naza
Foto da Naza

Click inesperado...
Quase chegando: eu e João esperando na sinaleira da Borges de Medeiros. Foto da Naza

Dados do ciclocomputador:
Distância pedalada: 59 Km
Tempo: 4h03min
Média: 14,5...

2 comentários:

  1. Que descrição mais fiel! ainda bem que não fizemos nada de errado.
    ah, adorei a foto da formiga,ficou linda!

    ResponderExcluir
  2. Adorei as fotos e espero vocês muitas mais vezes por aqui
    Adorei a companhia de todos !!!!!

    ResponderExcluir

Responderei aos comentários aqui mesmo ou se preferir, deixe seu e-mail para que eu possa entrar em contato. Obrigada pela visita e pelo comentário!