domingo, 4 de janeiro de 2015

Visitas que ficam de um ano para outro.

Costelinha recepcionando os cansados viajantes.
Uns dias antes do ano novo, três amigos vieram de Porto Alegre até o Recanto de bicicleta, para passar a virada comigo, já que Leonardo estaria de plantão.
Marga, Érico e Tiago pedalaram um dia inteiro, por estradas secundárias para fugir do movimento das estradas que levam ao litoral, destino preferido da maioria das pessoas nesta época do ano.
Na quarta pela manhã, dia 31, fomos até a cidade para comprar itens para a nossa ceia da virada e também comprar passagem de ônibus para a retorno deles.
Antes de voltar para o Recanto, resolvi mostrar o Balneário Municipal de Maquiné, uma área de lazer na beira do Rio Maquiné, pertinho do centro da cidade e com local para camping. 
Chegando lá, estacionei o carro e fomos todos até a beira do rio. Em seguida, vimos uma criança carregando um cachorrinho e logo depois, o cãozinho estava aos meus pés pedindo colo.
Foi uma cena muito curiosa, pois haviam quatro pessoas juntas e ele veio direto em mim. A Marga estava com a minha máquina e registrou a cena. Já comecei a xingar o menino e os pais dele em pensamento, por não cuidarem do bichinho direito, deixando-o solto pelo camping. Olhei para os lados procurando a criança, e depois de brincar um pouco com o filhote, fui até a família do menino para devolvê-lo e pedir que tomem cuidado com o cãozinho para ele não se perder, Para minha surpresa, o cãozinho não era deles, o menino brincou com ele mas não sabiam de quem era.
Lá fui eu procurar o dono do cachorro... perguntei para todo mundo que estava ali, até que cheguei num casal na beira do rio e o rapaz disse que havia tirado o filhote de dentro da água, o que explicou o fato dele estar molhado.
Peguei uma toalha dos meus cachorros que estava dentro do carro e enrolei no bebê.Já estava pensando o que eu ia dizer para o Leonardo levando mais um cachorro para casa, quando a senhora que estava com as crianças que brincaram com o filhote, perguntou se eu havia encontrado o dono. Respondi que não e ela murmurou, "então acho que vou ficar com ele". UFA!
Eu e Marga conversamos com ela, que só tem um gato e mora em Gravataí, na grande Porto Alegre. Ela gritou para o marido, que estava na água com as crianças, se podia ficar com ele e as crianças gritaram de lá "OBAAA". O marido só resmungou "fazer o que? Quem mandou casar com uma cachorreira?", se referindo ao fato da mulher gostar demais de cães.
Bom, acho que ele estará em boas mãos, simpatizei bastante com a senhora e só me resta torcer para que ele fique bem. Eu não posso pegar mais bichos, pelo menos, por enquanto.
Marga desfilando no trapiche, agarrada ao Érico.

 De tarde, já de volta ao Recanto, depois de um almoço maravilhoso feito pela Marga, fomos até a beira do rio, nos fundos do Recanto e acabamos tomando banho de rio, Érico e eu. Tiago, Marga e Trumbico ficaram na platéia, pois não são chegados em água.
 Conversa fiada na sombra depois do banho de rio.
Começamos a preparar a nossa ceia meio tarde já. 
Marga e Érico estavam no comando das panelas. 
Brindamos com espumante bem antes da meia-noite, pois adoro ficar bebericando enquanto cozinho. Tombinho estava um pouco assustado com os fogos de artifício e se abancou no colo do Tiago.
Marga fez lentilha e legumes ao curry, e Érico preparou uma deliciosa quiche de legumes.
Às 23h59 Leonardo, que estava na casa dos amigos Paulo e Silvia, torcendo para não ser chamado para o trabalho, ligou avisando que faltava um minuto para o novo ano. Não havíamos percebido o tempo passar e ficamos surpresos com o horário. Fiz a contagem regressiva com o Leonardo pelo telefone e para a minha alegria, não houve muitos estouros de fogos por aqui e a cachorrada não se alterou muito.
A comida estava excelente!!! Comentei com o Leonardo que nunca vi uma comida demorar tanto para ficar pronta, pois começamos num ano e terminamos no outro. rerere
Para a sobremesa preparei um Crumble de Frutas, receita que copiei do blog da Egléa, do Jeito Mineiro de Ser. Ela postou, eu babei e copiei. A parte das frutas eu fiz bem de cabeça, usei um abacaxi pequeno, os famosos abacaxis de Terra de Areia, o que tinha de banana e o que tinha de maçã, o suficiente para cobrir o refratário. A farofinha que vai por cima segui bem à risca: 1 xícara de açúcar mascavo, 1 1/2 xícara de farinha de trigo e 100 gr de manteiga gelada cortada em pedacinhos. Ela é servida quente com o sorvete de creme. Não achamos sorvete de creme, só de flocos e só tinha sorvete de marcas desconhecidas e foi difícil achar os flocos também, mas a sobremesa aprovou! Tava uma delícia! A farofa fica bem crocante, as frutas macias e quentinhas com o sorvetinho gelado... hmmm!!! 
Uma das coisas boas desta visita é que, além de muito divertidos, a gente passava o tempo todo tagarelando e nem sentíamos o tempo passar. Não fizemos nenhuma grande festa, preparamos a janta, jantamos e ficamos de papo na mesa mesmo. Quando vimos, já eram quase quatro da manhã. 
Foto da Marga
Eu achei que íamos dormir até tarde mas acordei cedo com o barulho de louça e vi que meus visitantes estavam desrespeitando um dos mandamentos do visitante do Recanto, que é: "na minha casa só eu lavo a louça!"
A Marga, que dormiu comigo e Tombinho, acordou super cedo, fotografou a paisagem da cama, fotografou os guris dormindo e se atracou na louça. Disse para ela que terá que pagar um prenda por ter desrespeitado o mandamento, que será cobrada numa próxima visita, já que esquecemos nesta.
Sissi na janela espiando Tiago e Érico dormindo na sala. Foto da Marga
Na manhã do primeiro dia do ano resolvemos caminhar até a balsa e enquanto eu terminava a função do café da bicharada, Marga e Érico brincaram na corda da figueira. Foto da Marga
E lá fomos nós e o chimarrão. A balsa fica a pouco mais de um quilômetro do Recanto. Foto da Marga
O caminho até a balsa é muito interessante. Tem a lagoa de um lado, o braço morto do outro e o rio Maquiné e a balsa pela frente. Foto da Marga
Tem trechos de mata e trechos de pastagens onde as vaquinhas desconfiadas ficam nos acompanhando com o olhar. Foto da Marga
Quase chegando na balsa tem esta majestosa figueira. Amo figueiras e esta deve ter muitos anos de vida. Coisa mais linda! Foto da Marga
Érico é biólogo e estava me explicando sobre outro tipo de figueira que tinha no caminho e que plantei no Recanto sem saber que ficava tão grande. Mas não tem problema, ela tem espaço para crescer e os passarinhos adoram seus frutinhos. Foto da Marga
Chegando na balsa tomamos mais um pouco de chima, conversamos com o balseiro e ficamos de conversa fiada, sem perceber o tempo passar. Foto da Marga
Esta pequena galinha não saía da nossa volta, ciscando o tempo todo. Coisa mais querida!
Ficamos um bom tempo lá e a balsa não saiu do lugar.
Marga sempre fazendo festa cumprimentando o pessoal que passava no rio.
Amo galinhas! Ainda vou ter as minhas.
Quando vimos já era meio-dia. Encontrei o seu Feito, um vizinho que Leonardo e eu apelidamos de "seu Feito" porque sempre que passamos e cumprimentamos ele responde "feitooo!". Fiquei de papo com ele e o balseiro, adoro conversar com as pessoas da região, apesar do seu Feito ter morado em Porto Alegre. Desta vez, eles me ensinaram a salvar os cães de picadas de cobras. Foto da Marga
Foto do Tiago
E lá venho eu, atrasada depois de ficar de papo com o balseiro e com seu Feito. Não sei quem tirou a foto.
Self da Marga
Ainda bem que estava nublado! Foto da Marga
Quase chegando de volta ao Recanto, uma foto do grupo.
Chegando em casa. Foto da Marga
Pela primeira vez encontrei alguém que tira mais fotos que eu. Gostei das fotos da Marga, por isso usei bastante fotos dela. Depois do almoço, mais um bate papo no deck e uma catadinha de pulgas no Costelinha. Foto da Marga
Tombinho fazendo pose no meu colo. Foto da Marga
De noite eles já ajeitaram as tralhas para pegar a estrada cedinho no dia seguinte. Foto da Marga
Dia 2 de janeiro, acordamos às 4h45. Enquanto eles se ajeitavam, preparei o café com pão, bolo e a pizza, tudo feito em casa na noite passada.
Havia chovido bastante durante a noite e estávamos torcendo que não chovesse até eles chegarem na rodoviária. Eles pedalaram uns 9 km do Recanto até a rodoviária de Maquiné, onde pegaram o ônibus para Porto Alegre.
Fui abrir a porteira para eles, o dia começava a dar o ar da sua graça, mas ainda estava escuro. Logo que se pega a estrada e passa um paredão de árvores, podemos ver a Lagoa dos Quadros. Pedalando, ao chegar neste ponto da estrada a Marga soltou um "olha que lindo!" e parou para fotografar. Resolvi caminhar até lá para conferir e realmente, estava um lindo começo de dia. Também fotografei e pude ver as luzinhas das bicis sumindo na estrada. Logo em seguida escutei a cachorrada da vizinhança latindo nos meus visitantes que me fizeram uma excelente companhia e evitaram que eu passasse a virada de ano sozinha com a bicharada.
 Meus pais e meus sogros também não saem de casa nas viradas de ano por causa dos seus cães. Desde que tenho cães, ano novo se transformou em stress para mim, pois se meus bichos estão mal, não tenho como ficar bem. 
Leonardo e eu passamos a virada de 2012 para 2013 dentro dos canis tentando acalmar a bicharada, lá em Porto Alegre. Dá dó ver o sofrimento deles com estas porqueiras de fogos de artifícios. Na virada de 2013 para 2014, passamos sentados na calçada em frente de casa, lá em Porto Alegre ainda, com a mangueira em punho para molhar quem se atrevesse a soltar foguetes na frente da nossa casa. A gurizada fazia de propósito, pois sabiam que a gente não gostava. Largavam as bombinhas dentro da caixa de correspondência e até jogavam para dentro do pátio onde temos o Bambam, um cão velhinho e cardíaco. 
Infelizmente, as pessoas deturparam as festas de final de ano, transformando o que era para ser uma noite de confraternização e alegria, em uma noite de bagunça e barulho. Fogos de artifício para mim, são bonitos num local adequado e por um tempo determinado, como acontece nas beiras das praias de quase todo o litoral brasileiro. Assim é bonito, pois está tudo ali, organizado por profissionais com hora marcada para começar e terminar, mas as pessoas, inclusive crianças,  brincam com estas porcarias dias antes da virada, tirando o sossego de pessoas e bichos.
Obrigada Marga, Érico e Tiago pela excelente companhia!
E que tenhamos um ano que seja realmente novo, sem violência, sem qualquer tipo de agressão, sem sofrimento!

3 comentários:

  1. Sem duvida foi uma virada de ano e tanto... belas fotos. Uma constatação msm q vc more no fim do mundo tendo amigos verdadeiros ,eles chegam c/ toda dificuldade q tiver (não tenho a mesma sorte) Não suporto fogos e aqui já foi silêncio total , mas hj com novos vizinhos me vejo irritada e preocupação mil com os gatos e cachorros q tenho. Infelizmente nem tudo são flores e paz constante . Abços Mª Morais.

    ResponderExcluir
  2. Oi Bia! Quantos bichinhos tu tens? Tenho lido teus comentários e não sei como respondê-los e te agradecer o carinho. Tomara que leias este comentário. Bjinho!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Tiane ,tudo bom ? Moro numa peq. chácara distante 60Km da capital , Recife-PE . No momento tenho 3cães , 4 gatos e 8 galinhas ,mas já tive o quintal lotado rsrs Aprendi a dividir meu espaço com os bichos e plantas , me trouxe mais serenidade . Abços

      Excluir

Responderei aos comentários aqui mesmo ou se preferir, deixe seu e-mail para que eu possa entrar em contato. Obrigada pela visita e pelo comentário!