quinta-feira, 20 de agosto de 2009

Um caiaque pra chamar de meu - 15 de agosto

A primeira vez em que andei em um caiaque foi este ano, no mês de junho, num duplo, com o André (postagem do dia 08 de junho). A minha segunda caiacada foi a primeira aventura solo. O André emprestou um caiaque dele, um turismo amarelo, para que eu experimentasse. A terceira aventura não teria muita novidade, fora o fato de que aconteceu num sábado, ao contrário das duas primeiras que foram num domingo, depois de tomar café na ilha do GPA. Seria minha segunda remada solo, mas o dia prometia mais uma grande novidade: desta vez, eu andaria no MEU caiaque!
Amanhecendo no GPA
Este é o meu Quindim Precioso!
Eu e Germano papeando, tomando café e ajeitando as tralhas.
Foto:Leonardo Esch

Na última caiacada, o André havia comentado sobre a intenção de vender o caiaque amarelo que ele emprestou para a minha primeira aventura solo. A ideia inicial era adquirir um caiaque oceânico, mas o custo é muito alto ainda então, fui presenteada com o Quindim, como o André o chamava e agora, Quindim Precioso.
Encontramos André bem cedinho no GPA, pois ele iria descer parte do rio dos Sinos com outros remadores e Leonardo, Germano e eu, iríamos até a Ilha da Pintada para a volta oficial em meu primeiro caiaque. De posse do Quindim Precioso, colocamos a "mesa" do café num banco do GPA e, enquanto arrumávamos as tralhas e eu babava em cima do Precioso, Leonardo e eu fizemos nosso desjejum, pois tivemos que acordar muito cedo para deixar a bicharada alimentada antes de madrugar mais uma vez no GPA.
Como nas duas vezes anteriores, chegando o momento de entrar no caiaque, meu coração começava a bater mais forte. Meu medo de virar com caiaque e tudo dentro da água, atrasou um pouco a nossa saída, pois esperei que não tivesse muita gente na plataforma para ver eu "pagando um mico" ou um "King Kong", como diz a minha sobrinha.
Pobre Guaíba!
Finalmente embarcando no caiaque. Sem platéia, claro!
Foto: Leonardo Esch
Foto oficial e histórica: eu e meu Quindim Precioso em nossa primeira aventura.
Foto: Leonardo Esch
Muito lixo na superfície do Guaíba.
Enquanto tomávamos café, apareceu um remador, cujo nome esqueci, que acabou juntando-se a nós na saída. A outra novidade do dia ficou por conta da minha nomeação como fotógrafa oficial do passeio. O Germano sempre leva a máquina dele e eu "roubo" as fotos do Leonardo e de quem mais fotografar, mas o Leonardo pediu que eu fizesse as fotos do dia. Imagina, se eu acharia ruim... E assim começamos nosso passeio, cujo destino era a Ilha da Pintada e um almoço na Colônia dos Pescadores, que eu nem sabia se participaria, pois sou vegetariana. Por via das dúvidas, Leonardo e eu levamos bergamotas, maçã, cenoura, barrinhas de cereal e castanhas. Se não tivesse salada e batata-frita no restaurante, fome, eu não passaria.
Fotógrafa em ação: Leonardo, no início da jornada.
Leonardo, Germano, o terceiro remador e o lado triste das águas do Guaíba ao fundo.
"De origem indígena, Guaíba significa "lugar onde o rio se alarga" (gua - grande, I - água ou rio, ba - lugar)". Fonte: http://www.wikipédia.org/



"O Guaíba é formado pelo Rio Jacuí (84,6%), Sinos(7,5%), Caí (5,2%) e Gravataí(2,7%), recebendo também as águas dos arroios situados às suas margens. Trata-se de um estuário no Rio Grande do Sul,Brasil. Estes rios desembocam no Delta do Jacuí, formando então o Guaíba, que banha os municípios de Porto Alegre, Eldorado do Sul, Guaíba, Barra do Ribeiro e Viamão. A partir do Guaíba, as águas vão para a Lagoa dos Patos e, por seqüência, para o Oceâno Atlântico". Fonte: wikipedia.org.br


Morador ribeirinho jogando lixo nas águas do Guaíba.


O outro lado das águas: casas limpas, bonitas e mansões.
Cães de raça e ferozes cuidando das casas.



Rio cheio, árvores submersas.

Parada para um chazinho.



Leonardo gripado.
Uma simpática prainha.
Vacas que pararam para nos observar...

Uma casa na árvore.

A Colônia dos Pescadores, fechada aos sábados.


Foto: Leonardo Esch
Foto:Leonardo Esch

O Quindim Precioso descansando.
Leonardo limpando os pés para entrar no caiaque.

Porto Alegre vista das águas.




Na orla do Guaíba, encontram-se diversos pontos referenciais de Porto Alegre, como o Cais do Porto e a Usina do Gasômetro.


Cais do Porto

No canto direito da foto dá para ver a Igreja Nossa Senhora das Dores e mais para o meio, a cúpula da Catedral Metropolitana.
O Cais do Porto e o centro de Porto Alegre atras.










Fotos: Leonardo Esch









"Com a implantação do Programa Integrado Socioambiental (Pisa), em um prazo de 20 anos (a contar de 2007), as águas do Guaíba serão balneáveis novamente. A obra, uma das mais significativas da história de Porto Alegre, promoverá uma mudança muito importante para a população, garantindo melhores condições de moradia, saneamento e empregabilidade para mais de 700 mil pessoas. As negociações com o BID, principal financiador do projeto, começaram em 2000 e finalmente começam a produzir resultados concretos." Fonte: http://www.wikipedia.org/
Será??????
A chata se aproximando e eu me apavorando. Foto: Leonardo Esch


Quase chegando. Foto: Leonardo Esch
Germano me ajudando a sair do caiaque. Foto:Leonardo Esch
Reaprendo a andar e soltando as engrenagens. Foto: Leonardo Esch








Foto oficial no final da caiacada dos entrépidos e cansados aventureiros. Foto: Leonardo Esch
Meu Quindim Precioso indo embora para Nova Petrópolis.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Responderei aos comentários aqui mesmo ou se preferir, deixe seu e-mail para que eu possa entrar em contato. Obrigada pela visita e pelo comentário!