segunda-feira, 24 de fevereiro de 2014

Uma boa semana a todos!

Esta foto foi publicada por uma amiga, a Eliana Lúcio, no Facebook.  Eu me apaixonei pela foto! O olhar destas duas criaturinhas me tocou de um jeito, que fico emocionada cada vez que a vejo. E olha, que já vi e revi esta foto milhões de vezes, sem exagero!
Transcrevo abaixo, o texto que a Eliana escreveu sobre a foto.

"Às vezes as pessoas divulgam certas ideias pensando em fazer o bem, mas o resultado nem sempre é o esperado.
Certo dia, conversando com a Cleidi, ela falou que tinha horror de ouvir dizer que é bom para crianças com algum problema de comportamento ter um cachorro. Concordo...também detesto ouvir isso. Todos sabem dos benefícios que a convivência com os animais traz para qualquer pessoa (crianças, velhos, adultos, adolescentes) mas eles não podem ser adotados com um fim "utilitário".
Aí, o que acontece? A família compra ou adota o bichinho, um SRD que é mais resistente. Num primeiro momento todos estão maravilhados. A criança entretida com a novidade, os adultos com aquele sorriso de satisfação e esperança e o bicho cheio de mimos. Só que passa um tempinho e a criança já não está tão interessada no "brinquedo novo", os adultos descobriram que o animal exige tempo e cuidado e passam a achar que o comportamento da criança não mudou tanto assim. Vamos dar esse cachorro! Esse é o primeiro pensamento. mas quem vai querer um SRD? Tem tantos por aí nas ruas. Rua? Alguém falou "rua"? Podemos deixá-lo na rua. Damos ração e ele tem liberdade e espaço para fazer suas necessidades. Assim os vizinhos podem ajudar a cuidar também. Bom, né? Alguém pensou no bicho uma vez que seja? NÃO. O pobre coitado é jogado, perde todos os mimos, atenção, lar e vira um cão de rua. O pior é que essa triste história não termina aqui. Passa-se um tempo e alguém tem a infeliz ideia de sugerir que um cãozinho ia fazer muito bem para fulaninh@ e começa tudo outra vez. Mas desta vez vamos comprar um cachorrinho pequeno, de raça...Vai ter o mesmo final.
Então, vamos parar de recomendar adoção de cachorros para quem tem problema com crianças ou crianças com problemas.
Criança, antes de ter uma cachorro, precisa ter amor, atenção, carinho, educação e limites. Os pais precisam dedicar tempo aos filhos. O cachorro não vai suprir aquilo que o os pais ausentes não dão e ainda corre o risco de virar saco de pancada.
Posso bem entender qualquer criança problemática quando é cercada por adultos que agem assim.

Nesta foto vemos uma criança que ama os animais sem distinção, que é capaz de repartir o que tiver de bom com eles e que aprendeu a respeitá-los como companheiros de jornada. O Antony e a Lya." 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Responderei aos comentários aqui mesmo ou se preferir, deixe seu e-mail para que eu possa entrar em contato. Obrigada pela visita e pelo comentário!