domingo, 8 de junho de 2014

Popó e Kin

 Ainda tenho muito o que aprender com os animais. Esta noite perdi um gato, o seu Popó, que não foi adotado por nós, pelo contrário, ele nos adotou, pois chegou aqui sem ser convidado e aqui resolveu ficar. No começo, ele pulava o muro para comer a comida dos gatos e saía correndo quando nos via ainda dentro de casa. 
Juro, sem vergonha de dizer isso, que tentei ignorá-lo, pois todos sabem que já tenho muitos animais e não consigo mantê-los sem ajuda. Pois ele ignorou a minha indiferença e não só se juntou aos meus  gatos do pátio, como resolveu que dentro de casa era o melhor lugar para ficar e passava no meio das nossas pernas quando abríamos a porta. 
Pois o Popó deixou de ser arisco, foi ficando, entrando e conquistando nossos corações com seu corpinho magro e seu jeitinho pra lá de carinhoso! Em pouco tempo passou a atender pelo nome. Foi tudo muito rápido, ele chegou, não conseguimos engordá-lo e a doença passou a se manifestar rapidamente nas últimas semanas. Ficou alguns dias internado na clínica mas a veterinária achou melhor levarmos de volta para casa porque estava deprimido. Trouxemos no sábado mas ele não melhorou. 
Antes de ficar muito, muito mal, tirei a foto dele dormindo ao lado da Kin, nossa cachorrinha cega. Esta noite ele morreu e de manhã, coloquei seu corpinho na rua coberto com os paninhos dele, enquanto dava comida para a cachorrada,para em seguida enterrá-lo. Eis que a Kin, que dificilmente entra naquela parte do pátio, ficou o tempo todo ao lado do Popó. 
Fiz tudo dentro da rotina deles. Numa determinada hora, tenho que colocar uma turma dentro de casa para soltar o Sargento e a Clarinha, e a Kin, que sempre entrou sem problema algum, "bateu pé" e ficou no frio, sentada ao lado do Popó. Será que ela estava velando o amigo? 
Achei que era bobagem da minha cabeça, mas depois que concluí o sepultamento do querido Popó, deixei os paninhos no chão para ver se ela não estaria ali, só por causa dos panos e para a minha surpresa, ela virou-se e foi para dentro de casa, deixando os paninhos no chão. Fico pensando se não estou dramatizando mas que outra explicação teria para isso? 
Obrigada Popó e Kin, por mais estas duas lições!
Popó morreu no dia 26 de maio. Estou reproduzindo aqui, uma publicação que fiz no Face, no dia 27 de maio.

9 comentários:

  1. Pois é... eles sempre nos ensinam tanto, não é?
    Um abraço!
    Egléa

    ResponderExcluir
  2. Que fofo ele, que esteja na ponte do arco-íris (linda metáfora)! Pois é, aqui tivemos uma assim, aqui digo, muitos anos atrás quando eu morava em uma casa em Porto Alegre. Chegou, do nada, uma gata arisca e toda torta. Resumindo: foi se amansando, amansando e virou uma das gatas mais amorosas e carentes que já vi. Tinha uma pelagem linda, mas deve ter sida atropelada ou maltratada pois tinha uma perna torta, pelo que a chamamos de Pepé. Morreu de velha lá. Quanto à Kin...as pessoas que têm respeito e ligação com os animais intuem que eles são muito mais complexos do que podemos imaginar. Um dia, quem sabe, os humanos se convençam de que não existe nós e eles, mas um contínuo, sem pontas, da criação.

    ResponderExcluir
  3. Tô aqui arrasada chorando. Eles são melhores que nós, Tem amor de sobra. Sinto muito pela tua perda.

    ResponderExcluir
  4. puxa sinto muito. sei bem o que é perder um desses pequeninos. parece que nosso coraçao despedaça.
    bjs
    Flavia
    www.adoteumfocinhocarente.blogspot.com
    loja virtual: www.adote.iluria.com

    ResponderExcluir
  5. Ah, Tiane, sinto muito , querida!!

    Fiquei emocionada com a história desse peludinho! Ele sabia que teria seu amor, seus cuidados amorosos.

    Sabe, os animais se entendem...eles presentem tudo o que acontece, muito além da nossa compreensão!!

    Minha gata Tajmahal sabe quando um de seus irmãozinhos vai virar estrelinha...ela fica assim também sentadinha do lado do doentinho e me olha com longos olhares de amor...

    Tiane, obrigada pelo carinho!

    Sabe, minha Paçoquinha já é uma estrelinha linda...encantou no ano passado...foi uma cadelinha adorável, que deixou meus dias mais bonitos...precisou partir...

    Sim, Sebastian é o meu ceguinho que vê com os olhinhos do coração!

    Ele sofreu um acidente quando bebê ...ficou ceguinho e com sequelas neurológicas.

    Toma remedinho de controle...tem crises...já está com 8 aninhos...é o meu filho especial!!

    Uma amiga publicou a história do meu Sebastian...você poderá ler aqui:

    http://lilasesazuis.blogspot.com.br/2011/12/diario-de-um-gatinho-cego.html

    É um sofredor nas minhas unhas...hehehe...eu agarro e beijo tanto ele, que o coitadinho sai correndo dando uns pulinhos, muito engraçadinho...hehehe....

    Querida, fique bem...

    beijinhos,

    Lígia e =^.^=

    ResponderExcluir
  6. Oi amiga, estou aqui em lágrimas pois eu acredito e sei muito bem tudo o que está dizendo.
    Aqui em casa é sempre assim, quando algum de nossos bichinhos vai embora tem sempre uma surpresa. Outro logo aparece pra ocupar o lugar e com as mesmas características... é incrível. Não tem como descreditar que eles tem alma, sentimento, tristeza e além de tudo um sentido muito além do nosso.
    Que pena, sinto muito a partida do seu anjo. Cuide bem de Kin. Beijos minha linda

    ResponderExcluir
  7. Pena ...esses animaizinhos nos dão lição!
    Fico surpresa q lembra de todos os nomes dos bichinhos....nunca esqueceu nenhum?

    abraços bem quentinhos amiga!

    ResponderExcluir
  8. Ti querida, você nem sabe como me emocionei com esta postagem. O Popó agora está no céu dos animais, e a Kin com certeza o estava velando.
    Eu admiro vocês 2 por tanto amor que têm com os animais. E te adoro muito garota!
    A minha Gica está no fim também, Ti, cada dia mais magrinha e quietinha. Mas ela viveu 24 anos comigo, então só tenho a agradecer.
    Beijos
    Vero

    ResponderExcluir
  9. Lamento pelo "popó"...mas kin ensinou q amigos n se abandonam nem na morte. Tenho 4 felinas e uma delas brenhas (q adotei em Janeiro) e com elas só tenho aprendido. Um abço afetuoso .Mª Morais

    ResponderExcluir

Responderei aos comentários aqui mesmo ou se preferir, deixe seu e-mail para que eu possa entrar em contato. Obrigada pela visita e pelo comentário!