quarta-feira, 27 de maio de 2015

Nem tudo são flores...

Costelinha: "deixa eu entrar!"

 Morar em sítio pode ser muito bom e muito bonito mas nem tudo são flores. Além das flores temos alergias, dedo machucado e chuva.
Há mais de uma semana que a imprensa vem alertando para dias de chuva e ventos fortes. Eu sempre gostei de dias chuvosos, mas desde que entrou água aqui dentro de casa, acho que foi em fevereiro, não fico mais tranquila com a mínima previsão de chuva.
Além do receio de que a água entre em casa sem ser convidada, fico apreensiva pela bicharada, que apesar de terem onde se proteger, insistem em ficar na varanda, o mais perto possível da gente.
Esta é a Morena, nossa hóspede. A Morena é filha de pais separados e está com a gente temporariamente, até que o seu tutor encontre uma nova casa para eles (o "pai" dela, um amigo nosso, ficou com a guarda da Morena...rerere). Ela veio com um colchão tri chique da Pedigree e dormia no quartinho dos cães até que, uns delinquentes (Lépi e Pituca), resolveram brincar de neve com o colchão. Desde então, Morena só quer dormir na porta da casa, na varanda.
 Eu sei que estou errada, mas não aguento vê-los deitados no chão e acabei colocando umas casinhas e caminhas na varanda. Não tem jeito, eles querem ficar pertinho da gente e eu gosto que eles fiquem perto de mim, até para proteção, já que fico muito tempo sozinha aqui. 
Eles se revezam nas quatro casinhas que têm na varanda mas na foto estão a Kim e a Feliska.
A poltrona que tinha dentro de casa, já quando a compramos, foi aproveitada até pouco tempo e agora, adivinhem? Está na varanda... eles adoram!!!
 Olha o sono do Pinheirinho na poltrona, que coisa mais gostosa!
 Esta é a minha varanda. Pode não estar bonita, com certeza não está, mas prefiro eles perto de mim e satisfeitos do que ter uma varanda impecável. Um dia, quando não tiver mais tantos bichos, então eu terei uma varanda de revista! 
No lado oposto a varanda temos a área de serviço, local escolhido pela Olívia e suas filhotas, Lépi e Pituca.
 Apesar que, a Lépi (pretinha da foto acima) e a Pituca (branquinha da foto abaixo) nunca ficam no mesmo lugar. Ora estão nas casinhas de madeira feitas pelo meu personal marceneiro, ora estão nas baias do quartinho feitas pelo meu personal marceneiro e, às vezes, deitam com a mãe na área de serviço, que não é o melhor local para ficar em dias de chuva e vento. 
 Estas fotos foram tiradas no domingo, quando caiu uma chuvinha por aqui. Agora são 13h31 de quarta-feira e está chovendo desde ontem de tardezinha. A Olívia permanece na área de serviço, mas se o vento mudar, ela não terá outra alternativa e terá que procurar outro lugar para deitar.
 A Sissi tem dormido dentro de casa. Comecei a deixá-la entrar nas ausências do Leonardo, a Sissi é grandona e eu me sinto mais segura com ela por perto. Ela se acostumou a aparecer na janela da sala, lá pelas oito da noite. Eu faço um sinal com as mãos, como quem diz "vem", e ela vai direto para a porta da área de serviço para entrar. Fiz isso uma vez, para mostrar para o Leonardo, como a Sissi era esperta. Eis que, uma noite fui dormir mais cedo que o Leonardo e quando acordei, a Sissi estava dentro de casa. Perguntei para o Leonardo por que ele havia colocado ela para dentro e ele respondeu que ela apareceu na janela e ele resolveu testar a esperteza dela fazendo o sinal, o nosso código não mais secreto. Ela foi correndo para a porta e ele teve que abrir. Agora não tem jeito, todo dia, no mesmo horário, a Sissi coloca o carão na janela da sala esperando o sinal. 
 Mas ela também gosta de ficar no gatil, pois cresceu com os gatos dentro de casa, lá em Porto Alegre.
 Ó, tô convidando ela para sair do gatil comigo e ela nem tchum! Quer ficar com os gatos!
 Estas são as casinhas que o meu personal marceneiro fez e espalhei pelo pátio e eles, nada de usar as casinhas. Dispus elas perto da porta da área de serviço, entre a casa e o quartinho deles e o galpão, caminho de grande movimento de todos os moradores da casa (eu e o Leonardo!).
O Dunga dorme direto nesta casinha azul. É o único que escolheu uma casinha e dificilmente usa outra. Tentei fotografá-lo dentro da casinha mas ele é preto e cachorro preto não aparece direito em fotos, se não tiver contraste de luz.  O mesmo acontece com a Frida, que também é escura e usa tudo que é cama e casinha. Ela estava na casinha amarela mas a foto não ficou boa.
Esta é a Branquinha, que adora uma cadeira. Lá em Porto Alegre ela já dormia numa outra cadeira e, todo o santo dia a gente coloca a cadeira/cama dela para dentro durante a noite, e todo o santo dia que faz sol, a gente coloca a cadeira dela para o sol. Domingo estava chovendo daí, ela e a cadeira ficam dentro do galpão e abaixo, ela tomando um solzinho na sua adorável cadeira de praia! E ai, de quem chegar perto da cadeira dela! Ela é velhinha e azeda! 

 Bom, este dispensa comentários. Dorme dentro de casa e muitas vezes, temos que pedir permissão para ele, para irmos para a nossa cama. Guri mimado! 
Agora ele ganhou uma caminha nova e um edredom e largou de mão um pouco, a nossa cama. Ele adora edredom!
E esta é a Brigitte, que também atende por Bibi e também demos o apelido carinhoso de "paninho de chão". Mas por este, ela não atende! Sim, Brigitte em homenagem à diva Brigitte Bardot. A Bibi é uma "lady", foi mimada demais pela minha mãe e por ser a menorzinha, também dorme dentro de casa. Outra hora eu conto porquê ela é uma "lady".
Aqui estão os dois dondocos dentro de casa.
 Bom, e todo este blá, blá, blá foi para explicar porque, nem tudo são flores. Semana passada fui pega por mais uma alergia, fiquei toda empipocada, do couro cabeludo até o dedão do pé, mas não eram pipocas contínuas, eram localizadas na cabeça, na barriga, nos braços, nas coxas, nas mãos e nos pés! E coçavam muito!!! Sempre tive alergias, acho, que sou alérgica a pólens e algumas plantas, pois sempre vêm depois de algum episódio em meio ao verde, ou na primavera. E no dia em que começou a alergia, estive numa floricultura com a mãe e devo ter encostado em alguma plantinha amiga. Mas assim como veio, a  alergia se foi! Rapidinho!Nem fiquei o final de semana todo me coçando. 
Depois da alergia eu machuquei o dedo da mão. Machucado besta, sabe?! Nunca roí unha, mas sempre roí cutícula e volta e meia, arranco um cantão do dedo junto e foi o que aconteceu. Mas é impressionante, como um machucadinho de nada atrapalha a nossa vida e é nessas horas que a gente vê a importância de um simples e gordinho dedo polegar. É a utilidade do dedo!
E junto com o dedo machucado veio a preocupação com a chuvarada prevista. Desde domingo comecei a me preparar, ajeitando o gatil e arrumando as casinhas e caminhas da cachorrada, e abrindo mais uma valetinha, desta vez, ao lado da casa, para ver se a água escoa mais fácil e não entra pela porta como já aconteceu.

Olhando a foto parece que não tem valeta nenhuma mas deu uma canseira! Tinha muita pedra! Até agora (chove sem parar!), tá funcionando direitinho, olha a foto abaixo, mas se aumentar muito a intensidade da chuva, não sei se minha valetinha vai dar conta. 
 Mas aí, o meu personal arquiteto/engenheiro/pedreiro já chegou. O Leonardo deve estar na estrada neste momento, voltando para a casa depois de mais um plantão. E deixa eu parar de tagarelar que tenho que colocar um pão na máquina para esperar por ele.
Ah, apesar de nem tudo serem flores (serem flores ou ser flores???), é muito bom morar num sítio, tá Cris? Não tô querendo te assustar, tá?! Pode continuar procurando o teu sítio!
E Rê Furlan, te prepara aí, que esta chuva deve estar chegando aí no teu sítio, se é que já não chegou.
Me desculpem pela longa postagem, me empolgo escrevendo, mas quem não tiver paciência de ler, pode só ver as figurinhas, e quem não gosta de cachorro, volta aqui na sexta, que vou mostrar o meu Projeto do Mês, idealizado pela Bruxa. Fui!

9 comentários:

  1. Nossa que familia linda heim!!! O meu tbm só quer ficar na varanda o mais perto possivel da gente!!!! Se morassemos perto eu ja ia encomendar uma casinha do seu personal marceneiro para o meu hercules haha... Diz para ele ensinar que como fazer uma...bjssss

    ResponderExcluir
  2. Menina quanto cachorro!!!! Olha sei como é esse negocio de chuva, frio e cães temos 5 aqui no meu trabalho e fico sempre preocupada com elas.
    Não moro em sitio mas é quase isso moro na zona rural de meu municipio. num terreno de 700m vizinho do sitio da familia e meu Pai esta quase tendo um troço porque não para de chover e o rio esta enchendo muito rapido! Pode escrever post longo adoro ler!! sesta tambem vou postar meu projeto do mes. dessa vez me adiantei e o post ja esta pronto . Um beijo da eliane.

    ResponderExcluir
  3. Li o post de cabo a rabo, rsrsrs
    Delícia ver o dia a dia o cuidado com a bicharada, a gente se identifica tanto né, lá na rocinha na hora da chuva, guardo até as galinhas, kkkk, beijinhos Mari

    ResponderExcluir
  4. Olá Tiane não vejo companhias melhores que essas.
    Por aqui também fico bastante tempo sozinha mesmo; pois não posso ter nenhum tipo de amigo animal no momento. Mas já me acostumei.
    Mas quando fico com gente por perto que só conta desgraça começo a me incomodar e ficar com medo de assalto. Claro né... só gente da cidade. Mas evito gente desse tipo para não me perturbar. De resto é o maior sossego trabalho muito então quando estou por aqui durmo cedo.
    De resto entrego tudo na mão de Deus sempre.
    Os temporais por aqui são terríveis!! isso é algo que não tem jeito é só esperar passar e ver o estrago depois....
    Minha pequena casa não fica perto do lago que tem aqui; mas os vizinhos coitados que moram proximo do lago é um salve-se quem puder! quando chove.
    Mas ninguém que largar o osso desse tipo de vida kkk.
    Tudo dá noticiário por aqui até a minha chegada no sítio kkk adoro essa vida.
    Abraços
    Janicce.

    ResponderExcluir
  5. Bom dia minha querida!
    Demorei mas cheguei!

    He-he-he mãe é tudo igual... as casinhas dos meus ficam nas duas varandas: da sala e da cozinha, assim eles escolhem onde querem ficar. E lógico, ao menor sinal de chuva, os maiores - Enzo e Cocada- ficam desesperados para entrar. Já os menores se acomodam nas casinhas, mesmo tremendo.
    rs a minha varanda é por aí também... na época que tinha 12, era mais cheia. Agora, apenas com 4 e a Cocada dorme dentro de casa, então diminuiu um pouco, mas as casinhas, latões (eles gostam de ficar em cima) e pallets com colchões estão lá.
    Traduzindo Sissi para Cocada. Ela tinha tanto medo que comecei a deixar entrar. Aí qdo tivemos problemas com a cerca e ficamos levantando de madrugada para buscá-los na rua, comecei a colocar a "mandante" do motim pra dentro. Acostumou. Falei pro Silas que acho q ela não dorme mais no quintal rsrs.
    A fuça da Branquinha tá dizendo "nem vem..." rsrsrs, que linda!
    Apaixonei por cada fucinha e tenho saudades da época que minha família era tão grande e harmoniosa como a sua. Mas como eu e marido nunca mais viajamos juntos por não ter ninguém que cuide deles, qdo foram virando estrelinhas, parei de pegar - agora só ajudo nas causas.
    Essa mania de puxar cutículas a dentes sei como é - às vezes ganho belas inflamações...
    Deixa eu continuar no outro comentário.

    ResponderExcluir
  6. É que às vezes, esse blog corta rsrs.
    Então... meu sonho é me mudar para um local com mais verde. Onde moro, eram várias chácaras mas o crescimento desenfreado de Sampa colocou fim à tudo. Minha caverna tem muito verde, mas já não moro cercada de verde e sinto muita falta. Sempre converso com o Divino que gostaria de um lugarzinho assim, cercado de natureza...

    Que bom que participará do Projeto novamente, fico tão feliz! Será que serão as cerejinhas começadas há muito tempo? ;-)
    Dessa vez, eu participarei só atualizando já que meu Maio foi todo de gesso :(

    E sobre os livros, fico tão contente por você! Esse mês consegui dar uma deslanchada na leitura, já que ao chegar em casa, não posso pintar. Apesar de estar trabalhando, os movimentos estão limitados por conta do gesso, então sem pinturas - resta ler...

    Até amanhã!
    Abração esmagador e lambeijos em todas as fuças lindas - tô apaixonada!!!! (por ele e pela sua caverna!).

    ResponderExcluir
  7. Meu Deus, fiquei cansada só de olhar as fotos, arrumar e limpar tudo, lavar cobertores de cachorrinhos, cavar valetas... Afffff!!!!!!
    Uma dica pras coceiras de alergia: gelo nelas. Aprendi isso sem querer, num desespero de alergia por causa das aroeiras aqui do quintal (resolvi podar uns galhos que estavam baixos). Fiquei tão desesperada que peguei gelo e passei. Aliviou milhões. Depois o dermatologista me disse que o gelo inibe a atuação do "veneno".
    Manda a chuva chover aqui, por favor!
    hummm...senti o cheirinho do pão fresco.
    Um abraço!
    Egléa

    ResponderExcluir
  8. Nem te preocupa, Tiane, que continuo procurando e maquinando para estar em um sítio resolvendo os babados que surgem. Não adianta, tudo tem pontos positivos e negativos, a gente tem que ver é se banca. Gostei muito da ideia dos cachorros na varanda, pra dizer a verdade, adorei! A valetinha é uma boa, me lembrei das valetas em toda a cidade de Pelotas. O negócio talvez seja fazer uma valeta mais funda e com uma grade em cima. Vou ver se acho uma foto (lá era com um tipo de pré-fabricado de cimento).

    ResponderExcluir
  9. Tiane,

    Fico tão feliz em saber que existem pessoas boas como você e o seu marido!
    Por aqui há um senhor que têm gatos, mas não cuida, sabe?
    Sou eu que alimento a bicharada dele, cinco ao todo.
    Hoje recolhi alguns computadores velhos e fiz de casinhas para os gatos.
    Eu chamo a turminha de "rataiada"! Rsrsrs.
    Se eu pudesse, levaria todos para mim. Mas não posso, tenho a Brisa, uma cachorrinha veia e brava.
    Enquanto isso faço o que posso.
    Quanto aos " imprevistos", não se preocupe!
    Acontecem e a gente dá conta, viu?
    Porque quem ama os animais tem a ajuda de Deus!
    Felicidades a todos! Se cuida!

    Bjksss

    ResponderExcluir

Responderei aos comentários aqui mesmo ou se preferir, deixe seu e-mail para que eu possa entrar em contato. Obrigada pela visita e pelo comentário!