terça-feira, 18 de junho de 2013

Um sábado agradável no Mercado Público de Porto Alegre - 15 de junho


 Leonardo e eu estávamos a procura de pimenta da Jamaica para a mãe dele e não estávamos encontrando nos principais mercados de Porto Alegre, Caxias do Sul e Nova Petrópolis, as três cidades que costumamos frequentar. Nem procuramos em Maquiné, pois sabíamos que encontraríamos no Mercado Público de Porto Alegre.Fomos até lá no final da manhã de sábado e dito e feito! Encontramos a ardida!
O Mercado Público de Porto Alegre não é mais aquele lugar sujo e desagradável de anos atrás, agora é até gostoso fazer um passeio por lá. Leonardo e eu almoçamos no Mercado, depois compramos funghi e amendoim japonês, que eu amo, e depois compramos a pimenta, que achamos facinho, facinho e baratinho! Tinha pimenta moida e em grãos, mas dona Sonja queria em grãos para colocar na sopa. 
 Depois das compras tomamos um café numa loja especializada. Leonardo é louco por café com leite! E eu, do café, o que mais gosto e o aroma! Não tem nada como o cheirinho do café em pó, ou do café sendo passado ou do café sendo moído. Para mim, é um dos melhores perfumes que existe! Já de tomar café, não sou muito chegada, não, mas Leonardo tanto insistiu que eu tomasse um, que acabei aceitando. 
 Além do perfume, o mais gostoso de tomar um café é ficar observando as pessoas, a arquitetura do Mercado Público e a diversidade dos estabelecimentos. Quase na frente da cafeteria tem uma agropecuária, e mais para o lado, já tem uma peixaria, uma casa de ervas, uma casa de artigos religiosos, outra de suplementos para atividades físicas e outras bombas, uma fruteira e por aí vai. Adoro ir no Mercado Público de vez em quando, mas sempre tento passar longe dos açougues e peixarias.
 Por último, compramos churros e ficamos comendo na calçada. Enquanto nos deliciávamos com o churros ao lado de uma estação do metrô, uma senhora passou perguntando para a pessoa que estava com ela se aquilo era um viaduto. Leonardo e eu ficamos curiosos, não havíamos percebido aquela construção e fomos ver se dava para subir no tal viaduto, mas não dá. Uma pena, porque se desse, teríamos uma bela vista para o rio Guaíba, o nosso maior tesouro, tão mal aproveitado e nada respeitado.
Vou muito pouco no centro de Porto Alegre, pra dizer a verdade, sempre que possível, fujo do centro e de qualquer aglomeração de carros e pessoas, principalmente em tempos de obras para Copa do Mundo. Porto Alegre está um caos! Mas de vez em quando é bom dar um pulinho por lá, principalmente se for um sábado ou domingo, para um passeio agradável e não para as obrigações penosas do dia-a-dia. 
Mercado Públíco de um lado, do outro lado, Leonardo embaixo de construção que é a estação do metrô e uma rua depois, o Rio Guaíba, escondido atrás dos muros da Mauá. 

Um comentário:

  1. sim, os açougues e as peixarias são horríveis, visual e olfativamente...
    as compensações são a macrobiótica sauer, o tofu da familia hattori, o telúrico, a banca 40!

    ResponderExcluir

Responderei aos comentários aqui mesmo ou se preferir, deixe seu e-mail para que eu possa entrar em contato. Obrigada pela visita e pelo comentário!