domingo, 30 de junho de 2013

Pedalada da Amizade - segundo dia - Serra do Faxinal - Cambará do Sul - Tainhas - Serra do Umbú

Da série, "atualizando postagens"...
6h35 - café da manhã, depois de um dia intenso de pedalada onde chegamos ao topo da Serra do Faxinal e procuramos lugar para acampar já no escuro. Eu não tenho do que reclamar, pois   Leonardo e Evânder tomaram todas as providências, desde encontrar um local próximo a um pequeno riacho, montar as barracas escondidas da estrada, já que estávamos acampando em local proibido, até o preparo da janta, que comi quase dormindo.
No outro dia, que começava com nevoeiro, assim como terminou na noite passada, tratamos de levantar cedinho, tomar café e desmontar as barracas rapidinho para evitar confusão. 
 Juntamos as tralhas e fotografamos nosso belo local de acampamento.
 Pequenas flores neste galho de árvore.

 Gotas da alta umidade presente durante a noite toda e começo da manhã.
07h12 - Passando as bicis pela cerca.
 Meu herói!!!

Foto do Leonardo
 Aqui, Leonardo me flagrou fotografando os girinos no riachinho. Adoro girinos! Lembram minha infância, quando passava horas pegando os girinos que ficavam num terreno ao lado da casa dos meus  avós. O terreno era um banhado e os sapos reinavam tranquilos lá. Eu gostava de pegar os girinos na mão, não sei por quê, mas eu gostava disso. E só pegava na mão e os devolvia para a água, nada mais! 
 Girinos na água gelada do riachinho.


Foto do Leonardo
 No meio do mato, muitas flores, quase imperceptíveis de tão pequenas.
 Pequenas no tamanho, mas grandes na beleza!



07h40 -  Minha bici já tá lá na estrada, prontinha, só esperando Leonardo e Evânder ajeitarem suas tralhas.

 08h10 - Quanta estrada nos espera no Parque dos Aparados da Serra!
 Tem subidas e descidas.
 Curvas e retas.
 Lá vem o Leonardo registrando tudo com sua filmadora presa a cabeça.


 E tem campos e matas deslumbrantes!

 09h09 - Primeira parada para descanso mas não pelo cansaço e sim, pela paisagem. 
Como não "perder" um tempinho para curtir uma paisagem destas?
E registrar bons momentos.
Foto do Evânder

 Enquanto descansávamos, uma biológa que passava de carro pelo local parou para conversar conosco.Simpatizante das bicicletas, queria saber de onde vínhamos e para onde íamos. Conversa vai, conversa vem, descobrimos como esse mundo é pequeno, pois eu e ela temos um amigo em comum, o Luiz, outro simpatizante das bicicletas e vegetariano como eu.

 09h49 - Seguindo viagem, chegamos num cruzamento onde paramos para decidir qual o caminho a seguir.
 A estradinha à direita leva para Azulega. Reto vai para Cambará.

 Na encruzilhada, descansando, fotografando e decidindo. Que vida mais ou menos!
Pegamos a estrada para Azulega.
Foto do Leonardo

 Ainda estávamos no Parque.
Mais belas estradas entre matas e campos nos aguardavam.
 Minha buzina de estimação, o Zig, estava feliz com o passeio.
 10h18 - Desta vez, não foi a minha bicicleta que teve problema e sim, a de Leonardo, que perdeu o bagageiro numa descida. A bagagem ficou presa e foi arrastada até parar. Por sorte, não houve nenhum estrago e por sorte, estávamos em frente a uma fazenda com um mata-burro na entrada, que Leonardo usou para acomodar as bicicletas.
Evânder procurando o parafuso.

E mais sorte ainda foi o Evânder encontrar o parafuso que caiu da bicicleta do Leonardo e soltou o bagageiro. Missão que parecia impossível, saber onde caiu o parafuso, em que altura da estrada e encontrá-lo.

Problemas resolvidos, voltamos para a bela estrada.



Foto do Leonardo

Chegando em Azulega e no restaurante onde almoçamos.




Pedalando pelos Campos de Cima da Serra, rumo a Tainhas.
Foto do Leonardo

No centro de Tainhas.
Foto do Leonardo

Foto do Leonardo
Foto do Leonardo
Parada para contemplar a paisagem e consertar mais um pneu da minha bici. 




Mais um pouquinho e chegamos no acesso para a Serra do Umbú, saindo do asfalto e pedalando em estrada de chão novamente. Já estamos no final da tarde e tratamos de procurar local para montar acampamento.


Lá vem o Leonardo.
Lá vai o Leonardo.
O chão mudou mas o sobe-desce continuou.
Achamos um arroio e um belo local para acampar. mais uma vez tivemos que passar as bicicletas por cima de uma cerca para não acamparmos tão próximo da estrada.
Flores na estrada.

Enquanto retirávamos as tralhas das bicis para poder passar pela cerca de arame e mais uma valeta, uma camionete da SEMA (Secretaria do Meio Ambiente do RS) parou para falar conosco. Nos entregaram um folder sobre um passeio de bicicleta que teria pelas bandas de São Chico e nos convidaram a participar. 
Passando as tralhas pela valeta.
Procurando o melhor local para montar as barracas.
Pertinho do riacho que estava lá embaixo.
Prontinho! Depois de 63 km pedalados no dia, acampamento montado no meio das coxilhas e a lua dando o ar da sua graça neste finzinho de tarde. Como diria meu amigo Evânder: que espetáculo!!

3 comentários:

  1. Nossa fico aqui só curtindo. Deve ser muito bacana toda essa aventura. Tenho que deixar meu lado sedentário de lado. Tu me inspira com tuas aventuras. Um beijão.

    ResponderExcluir
  2. Ala Putcha, muito legal, já fiz algumas travessias de canyon em Itaimbézino, fortaleza e Faxinalzinho, foi muito muito bom relembrar a azulega e barzinho/parada da tainhas. Obrigado. Egon

    ResponderExcluir
  3. Uau!! que bela aventura amiga... estou com aquela inveja booooa kkk. Sabe flor, admiro a maneira de vcs levarem a vida, ela tem que ser assim bem vivida. Amo o lugar em que vc vive porque amo estar perto da natureza.
    Seus passeios são inspiradores.
    Os lugares por onde passa é um sonho.
    Montanhas e rios de aguas cristalinas, coisas que não vemos por aqui pois aqui só se vê terras e plantação. Os rios quase que sumiram e se planta até perto de suas encostas. É uma loucura!!
    Bom querida acho que isso foi quase um desabafo. Me desculpe!
    Bom fim de semana. Beijos e abraços pra vcs.
    Quem sabe um dia visito seu paraíso.

    Apareça sempre. Adoro a sua companhia.
    Com carinho. MELISSA E ALECRIM

    ResponderExcluir

Responderei aos comentários aqui mesmo ou se preferir, deixe seu e-mail para que eu possa entrar em contato. Obrigada pela visita e pelo comentário!