quarta-feira, 8 de abril de 2009

São Chico de carro, de novo!

Mais uma vez a Mara precisou de carona para ver o andamento das obras em São Francisco de Paula. Que ruim... fui "obrigada" a fazer outro passeio!Nos atrasamos um pouco para sair, ficamos em dúvida por onde ir, se pela BR e Novo Hamburgo ou por Cachoeirinha e Morungava, mas finalmente, nos decidimos e tomamos nosso rumo: por Morungava. Por que? Porque não teríamos que passar pela Protásio engarrafada, é um pouco mais perto, não tem pedágio e a estrada é muito mais bonita!
E lá fomos eu, Mara, Nina, Gorda e hoje, duas novas companheiras de viagem: a Neguinha ou Negrrrrinha e a máquina fotográfica da minha irmã, que peguei emprestada. Obrigada, Rosane!
O dia tava lindo, perfeito para viajar e a viagem foi ótima. Mara e eu não fechamos a matraca um minuto. Uma, só calava a boca para a outra falar ou quando Nina e Gorda resolviam se manifestar. E desta vez, elas estavam atacadas. Normalmente, só latem para carroças mas hoje latiam para tudo: carroças, cavalos, cães, motos, bicicletas (tentei impedir que latissem para os ciclistas mas elas têm vontade própria...), gente parada, gente andando, até quando eu buzinava... e a Negrrrinha bem quietinha, não se manifestava, só dormia.Fomos direto para o loteamento ver a obra. A Mara desceu com as gurias e eu fiquei no carro preparando o mate. Duas casas depois do terreno, tem uma área com muitas árvores nativas onde um lindo cavalo branco pastava. A imagem que me veio à mente foi de um unicórnio num bosque, como uma página de um livro de estórias mediaveis ou de conto de fadas. E eu adoro unicórnios!



Enquanto preparava o mate e depois de fotografar o unicórnio, quer dizer, o cavalo branco, o cachorro que estava na casa do vizinho, e que eu já havia cumprimentado, saiu para me fazer companhia. Muito simpático ele se deitou de barriga para cima para que eu coçasse a pança dele.






Super Máquina estacionada na rua da obra, do cão simpático e do unicórnio.



Esta é a Nina, também conhecida por Branquinha, filha mais velha e mimada da Mara e do Martin...rsrs

Esta é a Gorda também chamada de Heloísa. Não pode ver uma carroça que começa a latir desesperadamente.


Esta é a Negrrrinha, também conhecida por Neguinha, filha mais nova que foi encontrada no loteamento e acabou adotada. A ideia é deixá-la em São Chico mas ela não quer mais morar no interior e está tentando, a todo custo, ficar na capital. A vontade é tanta, que se submete às ordens e vontades da filha mais velha, Nina, se comporta como um anjo, não late na viagem e até fez um acordo com uma mosca que "plantou" um berne na barriga dela para pensarem que era mais um tumor. Voltou para a cidade grande para ir no veterinário, que não caiu na jogada! Tirou o berne que só rendeu mais alguns dias na cidade grande... depois da segunda cirurgia para retirada dos outros pequenos tumores, ela deve voltar para São Chico e ficar fazendo companhia para a figura abaixo:


Este é o Chico, também conhecido por Chico Pancada... cão adotado pela Mara e Martin em São Francisco mesmo, para fazer companhia para a Negrrrrinha. Ele foi recolhido pela Luciana, a proprietária da livraria Miragem que mantém mais de 50 cães em sua fazenda. Se alguém quiser adotar um animalzinho em São Francisco de Paula ou arredores, procure a Luciana. Se alguém quiser adotar um animalzinho em Porto Alegre ou num raio de 200 Km de Porto Alegre, procure por mim... por favor!

Enquanto Mara fiscalizava a obra com o seu Roberto, o mestre da obra, saí mateando e fotografando. Minha intenção também era colher mais castanhas portuguesas mas a safra está no fim. Só tinham umas poucas castanhas pelo chão e não vi nenhuma na árvore.


Esta é a árvore que me forneceu as castanhas portuguesas no mês passado. Obrigada!


Fiquei encantada com o a barba de pau ou barba de bode ou ainda, barba de velho, por todo o tronco desta Araucária.


"As florestas que abrigam a Araucaria angustifolia, que ocupavam uma área de 200 mil quilômetros no Brasil, estão hoje reduzidas a 3% desse total. E, apesar de ser uma espécie ameaçada de extinção, ainda é explorada ilegalmente.A floresta com araucárias, chamada cientificamente de Floresta Ombrófila Mista, é um ecossistema do Bioma da Mata Atlântica, característico da região sul do Brasil e de algumas áreas da região Sudeste, que abriga uma grande variedade de espécies, algumas das quais só são encontradas nesse ecossistema. A araucária chega a viver até 700 anos.
Nos últimos dois séculos, a expansão de atividades econômicas (especialmente da extração da madeira e ocupação agropecuária) e das cidades reduziu a floresta com araucária a aproximadamente 3% de sua área original, sendo que menos de 1% dessas florestas podem ser consideradas primárias. "
Fonte:www.brasilescola.com e http://www.apremavi.org.br/ (belissimo trabalho da Apremavi- Associação de Preservação do Meio Ambiente e da Vida)

Sinais do outono ...



Sinais de que ainda existe a criança dentro de mim...


...no meio do caminho tinha uma abóbora...
tinha uma abóbora no meio do caminho...tinha uma abóbora...

Verde que te quero verde!







Resolvidas as questões da construção civil, fomos até a cidade almoçar.


Pensamos em almoçar na casa de chá da livraria Miragem mas só abria às 13h.

Finalmente, fotografei a famosa livraria Miragem!

Interessante o estacionamento para cavalos na calçada, parece coisa de filmes de cowboy.

Decidimos então, seguir viagem de volta e comer alguma coisa no caminho. Eis que, passamos por um simpático Bistrô e resolvemos entrar para ver o que tinha.

Além de um lindo burrico de barro na entrada, o Café & Bistrô Marcela's tem um ótimo atendimento! Oferece almoço e jantar (saladas, cremes, massas, petiscos e cafeteria). Perguntamos se teria alguma opção para vegetarianos e, além de nos apresentarem as opções do cardápio, nos ofereceram outras possibilidades. Optamos pela massa ao funghi do cardápio mesmo. Uma delícia!


Segue o serviço do Café & Bistrô Marcela's:
Av. Getúlio Vargas, 438
Tel. (54) 3244-2909

Gorda e Nina esperando dentro da Super Máquina.

A Gorda não relaxa. De dentro do Bistrô dá prá ver ela lá dentro da Super Máquina que ficou com os vidros escancarados no estacionamento.

Depois do almoço voltamos ao loteamento para buscar a Negrrrinha e minha cuia e térmica que deixei na obra. O vizinho-amigo-simpático estava por lá e, apesar de não estar magrela, estava esfomeado. Ele não é das vizinhas da Mara, deve ser de alguém que estava trabalhando em alguma casa. As janelas já estavam dentro do carro então, foi só juntar a cachorrada e descer a serra curtindo um visual maravilhoso!

Paramos numa madereira em Taquara e em Campo Bom para deixar as janelas.

Super Máquina por dentro: 2 janelas e 2 cadelas em cima!


Depois de deixar as janelas em Campo Bom coloquei o banco no lugar e a Negrrrinha pôde fazer o resto da viagem com mais conforto. Volta e meia eu olhava para trás para ver se a Negrrrinha ainda estava no carro pois ela é tão calma e quietinha que parece não ter cachorro no carro. E é por isso que lanço a campanha: "Fica Negrrrrrinha!"...
Infelizmente, tivemos que pagar pedágio e voltar pela BR por causa da parada em Campo Bom mas tudo bem...
Chegando em Porto Alegre a Mara me convidou para fazer um lanche na casa dela (também... eu não parava de falar que tava com vontade de comer banana com granola, meu novo vício)
Nina, de olho na banana por baixo da mesa de vidro.
Pôr do sol chegando em casa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Responderei aos comentários aqui mesmo ou se preferir, deixe seu e-mail para que eu possa entrar em contato. Obrigada pela visita e pelo comentário!