terça-feira, 6 de agosto de 2013

O Recanto em maio - Lidando com a peonada

Da série, "postagens atrasadas"...
Apesar de termos adquirido o Recanto há dois anos, ainda não temos nossa própria luz, usamos a do vizinho que nos vendeu o Recanto e nos cede a luz pacientemente. Já entramos com 6 pedidos de luz, todos negados! O primeiro pedido foi negado porque a casa está distante mais de 40 metros do poste e por estar numa possível área de APP (Área de Preservação Permanente). O segundo pedido, nem lembro bem como estava a situação, mas a CEEE (Companhia Estadual de Energia Elétrica) apenas deixou um bilhete escrito: "não tem casa" ( a casa não fica visível da rua, pois está na parte baixa do terreno, perto do rio, na área de APP). O terceiro pedido foi feito em abril e resolvemos então, fazer o que todo mundo vinha sugerindo, construir uma peça qualquer lá em cima para ganhar a luz. Contratei dois peões para a função, que no dia seguinte ao pedido, fizeram um quadrado com pedras e madeiras iniciando a obra do barraquinho. Eis que, a CEEE foi até lá no prazo previsto e deixou um novo papelzinho com as seguintes palavras , que transcrevo aqui, tal e qual eles escreveram:  item 1 -" cx de medição deve ficar no máximo 5 cm afastada da cerca frontal do terreno" e item 2 - "deve ser dado início na obra (fundação)".
O trabalho dos peões foi em vão, pois não consideraram aquilo um começo de obras, mesmo com todas as pedras, tijolos, madeira, areia, brita e o tão falado quadrado inciado.
Para quem ainda não conhece o Recanto pessoalmente, vou explicar melhor. Quando compramos o Recanto havia uma casinha velhinha na parte baixa do terreno, há bem mais de 40 metros do poste de luz!
A casinha velha na parte baixa do terreno.

 Pelo que sondamos com os vizinhos, a  casinha até não é tão velha mas estava bem judiada e ficamos um bom tempo pensando se a ajeitaríamos ou faríamos uma casa nova na parte alta do terreno, onde teríamos vista de todo o vale, do rio e da lagoa, e com a casa lá em cima o problema da luz também estaria solucionado. Mas não tínhamos dinheiro para fazer a casa lá então, fomos ficando e arrumando a casinha de baixo, que é uma gracinha, também tem uma vista maravilhosa mas está dentro da tal área de APP (Área de Preservação Permanente), onde não se pode construir e onde a CEEE não liga luz. A casinha velha já estava lá antes da lei, assim como várias outras na região, mas a luz havia sido cortada por falta de pagamento de um outro antigo proprietário, por isso a luz não será ligada lá de novo. Podemos morar na casinha sem problema, só não podemos fazer nenhuma nova construção na área de APP.
Agora,além do novo problema do poste, temos uma casinha velha ajeitadinha mas no habemos luz, por isso resolvemos fazer o barraquinho lá em cima para ganhar a dita. 
Depois do quarto pedido negado, não conseguimos trabalhar mais em cima desta questão, até que voltamos ao Recanto essa semana e chamei de novo os dois peões para dar continuidade a obra do barraquinho. 

Lidar com a peonada não é fácil! Eles são muito folgados, mais brincam e riem do que trabalham. Olhem só, a folga dos dois peões que estão construindo o barraquinho aos trancos e barrancos...
Leonardo e Tiago

O nome deles é Leonardo e Tiago, foram colegas de faculdade em Porto Alegre e agora resolveram levar uma vida ribeirinha morando no interior. Mas não moram juntos. Um deles, o Leonardo, mora comigo, um pouco em Porto Alegre e muito pouco em Maquiné, e o Tiago já está  morando em Barra do Ouro, um distrito de Maquiné, um paraíso repleto de verde e cascatas, assim como Maquiné.
O Tiago tem nos ajudado nesta nova função do Recanto. É uma figura, impossível ficar 3 minutos sem dar uma risada ao lado do Tiago.
Pelo menos assim, o trabalho fica descontraído. Enquanto eles trabalhavam, eu preparava um pão e um bolo para o café, levava chimarrão para eles e conferia as novas mudinhas plantadas no Recanto, como esta azaléa, tão pequena e já com tanta flor.

Leonardo está se divertindo com a função da pecinha, que chamo de barraquinho. Estamos fazendo ela ao lado de onde pretendemos, um dia, construir a nossa casinha dos sonhos. A ideia era fazer uma coisa bem simples mas Leonardo está se empolgando e inventando moda. Vamos ver no que vai dar.
Todas as vezes em que eu subia para conferir o trabalho dos peões, flagrava os dois tagarelando e gargalhando. Mas que barbaridade!
Foto em família, ou parte dela: eu e Leonardo e a cachorrada. No chão, da esquerda para a direita: Tombinho, Pinheirinho e Kin. Atrás do Leonardo, a Brigitte e atrás de mim, me dando um beijinho, a Pretinha. Foto do Tiago.
Entre um chimarrão e outro, o trabalho seguia. Deixei a cachorrada responsável pela fiscalização. Detalhe: a Kin, essa amarelinha da foto, é cega!
Tiago achava que dava para puxar a tela para que ela ficasse na distância exigida pela CEEE.
O dia estava acabando, a chuvinha chegando e o bolo saindo do forno!
Hora do café!
Pão e bolo recém saidos do forno! Comentei que não poderíamos comer o bolo, pois bolo quente dá dor de barriga, mas concluímos que isso tudo era blá blá blá das nossas mães para não nos deixar comer.
Enquanto fazíamos nosso lanche e jogávamos conversa fora, a bicharada descansava depois de uma tarde agitada.
Tombinho
Kin
Brigitte, meu paninho de chão!
Pinheiro e a gata Silene Seagal.
E a gatinha Babette, irmã de Silene, era a única acordada, ou quase... ganhando um colinho do amigo Tiago.  Obrigada pela ajuda, Tiago!
Foto do Leonardo

2 comentários:

  1. Além te tanto gargalhar, os peões ainda ganharam bolinho...kkkkk.
    Essa CEEE é terrível, eles vivem fazendo exigências absurdas. Eu comprei a casa com luz 110, e queria trocar pra 220.
    Nossa padecemos muito ligando diariamente. Foi bemmm demorado.
    Mas força amiga que é assim pra todo mundo em todos os lugares.
    Um grande beijo.

    ResponderExcluir
  2. Ti querida, que saudades!!!
    Nossa, não vejo a hora de ver o "barraquinho" pronto! Imagino vocês!!! :)
    Que bom ter ajuda de amigos e dar muita risada, a vida fica mais leve!
    Ti, to firme e forte na minha luta, nunca mais fumei, mas ainda não predi a vontade, sabe como é? Mas sou teimosa, não voltarei , e sei que um dia terei ECA do maldito!
    Beijosssssssssssss e tudo de bom pra ti
    Vero

    ResponderExcluir

Responderei aos comentários aqui mesmo ou se preferir, deixe seu e-mail para que eu possa entrar em contato. Obrigada pela visita e pelo comentário!